sábado, 18 de abril de 2015

Luanda.Teixeira Duarte Distribuição entra no negócio de farmácias





Ricardo David Lopes

Nova área de negócio já tem duas lojas a operar, e uma terceira vai abrir "em breve" em Luanda. Plano de expansão da Maxi está a ser revisto por causa da crise, e persistem as dificuldades com falta de divisas.
A Teixeira Duarte Distribuição abriu no final de Março duas farmá- cias junto às lojas Maxi do Rocha Pinto e Cacuaco, entrando assim numa nova área de negócio, revela ao Expansão o director de marketing da cadeia alimentar.
"Em breve", afirma Vasco Cabral, sem precisar datas, o grupo vai abrir mais uma farmácia na loja da Mulemba. A estratégia de crescimento das farmácias, explicou o responsável, que falava ao Expansão à margem da conferência de lançamento do livro Mercator da Língua Portuguesa, no final da semana passada, será "procurar abrir junto a lojas Maxi, preferencialmente".
Por enquanto, adiantou, a Teixeira Duarte Distribuição irá "cingir a abertura de farmácias a Luanda", mas, no futuro, a ideia é "alargar a outras províncias". Para além de 15 lojas Maxi, em Luanda, Porto Amboim, Benguela e Sumbe, o grupo detém cinco lojas Dakasa, de mobiliário, e oito Kitandinhas, estando a reavaliar os planos de expansão, face ao actual contexto de abrandamento económico, que tem afectado, sobretudo, o negócio da Maxi. "O plano de expansão não vai parar, mas está a ser reavaliado. Estamos a definir prioridades face à conjuntura, afirma o director de marketing, que admite que as vendas têm baixado, ainda que se sinta uma ligeira recuperação em relação ao início do ano. "Sente-se uma quebra no consumo, sobretudo na Maxi", diz Vasco Cabral, admitindo que a quebra está "próxima dos dois dígitos".
A recuperação está em curso, em especial no canal profissional, diz o director de marketing. "No início do ano a quebra foi mais forte", diz. A entrada em vigor da nova pauta aduaneira, no ano passado, "obrigou a subir alguns preços e a sacrificar algumas margens", uma vez que "o posicionamento do grupo é ser uma referência no mercado em preços baixos".
O objectivo, explica, tem sido "não perder competitividade no preço" por causa das taxas agravadas pela nova pauta.
Quotas sem 'condições'
A suspensão da aplicação de quotas aduaneiras, diz, acabou por ser positiva, pois, avançando, causaria "algum estrangulamento do mercado" angolano.
"As quotas estão suspensas, e acreditamos que não irão avançar", afirma Vasco Cabral, explicando que o processo "não foi clarificado", nem em termos de distribuição de quotas nem sobre o mecanismo de implementação.
Estas dificuldades, afirma, surgiram "quando se iniciou a parte operacional" do processo.
O grupo, diz o director, tem, entretanto, investido quer na compra quer na produção de artigos nacionais, em particular na área alimentar, por via do projecto Fazendas Maxi. "Temos já cerca de 30 fazendas", diz Vasco Cabral, que adianta que, actualmente, "a maioria dos legumes e frutas das lojas Maxi já é proveniente destas" produtoras.
"O nosso mercado interno começa a ganhar peso", avança o responsável, sublinhando que a as compras às Fazendas Maxi tem vindo a ganhar importância neste contexto, ainda que seja, desde o início, "uma aposta estratégica" do grupo.
Também a dificuldade na aquisição de divisas estrangeiras, nomeadamente dólares, tem causado "algum impacto" na empresa. "Está a prejudicar o negócio", admite Vasco Cabral, que diz que "não se sentem grandes melhorias desde o início do ano".
"Vamos fazendo algumas circulações, mas sempre para colmatar grandes atrasos [em pagamentos]", diz Vasco Cabral, que explica que estas dificuldades "prejudicam todo o circuito das importações", o que justifica mais ainda "a aposta no mercado de fornecedores locais", que, contudo, "também sentem dificuldades" por causa da falta de divisas, necessárias, por exemplo, para a aquisição de sementes.
A Teixeira Duarte Distribuição iniciou a sua actividade em 1996, em Angola, através de uma operação de distribuição alimentar, a Maxi. Entretanto, está também no Brasil (actuando através da TDD Brasil), Portugal (onde está presente com a empresa TDD) e África do Sul (operando através da GND).

Enviar um comentário