Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

domingo, 14 de setembro de 2014

David Haines é o terceiro refém decapitado pelo Estado Islâmico





Um novo vídeo mostra a decapitação do terceiro refém, David Haines. O britânico aparecia no vídeo de decapitação do jornalista Steven Sotloff. O grupo já ameaçou um quarto refém.

http://observador.pt

Os terroristas do Estado Islâmico terão executado o seu terceiro refém, o primeiro que é britânico, avança a agência France Press e a Search for International Terrorist Entities (SITE) Intelligence Group, organização que noticiou em primeira mão a decapitação do jornalista norte-americano Steven Sotloff, a 2 de setembro.
Pela terceira vez, o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) divulgou o vídeo da execução, onde se pode ver os jihadistas a ameaçarem um quarto refém, Alan Henning, também britânico.
O vídeo, a que o SITE teve acesso, tem 2:27 minutos e intitula-se “A Message to the Allies of America” (uma mensagem para os aliados da América) e chega após o anúncio da criação de uma coligação internacional para combater o Estado Islâmico.
De acordo com o britânico Guardian, David Haines tinha 44 anos e trabalhava numa agência não-governamental francesa chamada ACTED (Agency for Technical Cooperation and Development). Foi raptado em 2013 na Síria, onde tinha estado apenas durante três dias. A execução acontece um dia depois de a família do refém ter divulgado uma mensagem em que pedia aos raptores que a contactassem.
David Haines nasceu em Yorkshire, mas cresceu em Perthshire, Escócia. Antes de ser capturado viveu na Croácia com a segunda mulher, com quem tem uma filha de quatro anos. Ainda do primeiro casamento resultou uma menina, hoje com 17 anos, acrescenta o britânico Mirror.
O Foreign Office, equivalente britânico ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, disse que está a “trabalhar urgentemente na verificação do vídeo”, relata a BBC.

Enviar um comentário