Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

sábado, 13 de setembro de 2014

Os vendedores espoliados das ruas sem petróleo





Eram 18:30, quando soou a campanha. Fui ver de quem se tratava, e fiquei surpreso ao ver o Luis, com um ferimento feio no lábio inferior.
O Luis é um vendedor de rua, ambulante ou ZUNGUEIRO, dependendo da consciência de cada um, oriundo do Lobito, a cidade dos Flamingos.
Nasceu num País já livre da bota do Colonialismo (Português), mas ainda não apreciou até aqui, o sabor da In-dependência
Pai de dois filhos, que continuam vivendo na Província das Acácias Rubras, sob os cuidados da sua companheira, pois por falta de oportunidades, emigrou para Luanda, e nas artérias congestionadas do Rocha, da Samba, do Golf 2 ou mesmo no Avô Kumbi, zaguezaguea entre as viaturas, buscando com honestidade sustento para suas crias.
Hoje logo de manhãzinha, o Luis foi detido quando fazia a sua Zunga habitual, e transportado par um posto policial nas cercanias. Foram-lhe aplicadas duas penas que não achei no ordenamento jurídico Angolano.
- Tio Guedes, por favor me arranja só 10 mil Kwanzas pra comprar outro negócio. Pediu o Luis - os Policias me receberam tudo, e ainda por cima me bateram.
Isso já não nos surpreende, mas acabei perguntando:
- Qual foi o motivo que usaram para te bater?
- Não tio Guedes - respondeu - Não me bateram com motivo, me bateram com aqueles cacetes deles mesmo.
De tristeza e revolta também nos rimos.
Foi isso que acabei fazendo
In Francisco Guedes. Facebook


Enviar um comentário