terça-feira, 20 de novembro de 2012

" ETUNDA " UMA TERRA SAGRADA Á FERRO & FOGO , POPULARES EM DEFESA DA TRADIÇÃO CORREM OS CHINESES


"É um povo bravo como abelhas, não tem medo de armas, durante o dia usa catanas, machados e a noite usam feitiços contra os funcionários e seguranças acrescentou."

Orgulhoso do meu povo. Sempre iremos fazer de tudo para proteger os nossos "Akokoto"1

http://kandimbafilms.blogspot.com

Huambo : Na aldeia de Etunda , centenas de camponeses tomaram de assalto ontem dia 16, o acampamento de Chineses que se encontram a fazer obras de construção de residências num terreno ilegalmente expropriado que era usado para fins agrícolas, por ordens do governo provincial.

Os Chineses meteram-se em fuga correndo em debandada, deixando para trás toda maquinaria. Os seguranças afectos a uma empresa privada, que tomam conta do estaleiro, apesar de armados, nada puderam fazer, diante de tantos homens, mulheres e crianças, alias, é conhecida a fúria daquela população desde 2009 quando enfrentaram a PIR sem medo, durante a ocupação do mesmo terreno.

No local os camponeses exigiram a presença do Governador Muteka, sem a qual eles não abandonariam o estaleiro , Muteka teve que enviar horas depois para o local uma equipa de funcionários do Governo com uma data marcada para o encontro nos próximos dias.

O conflito já dura desde quatro anos é a expropriação mais difícil que já fizemos até agora disse um funcionário do Urbanismo contactado pelo repórter da ponto final.

É um povo bravo como abelhas, não tem medo de armas, durante o dia usa catanas, machados e a noite usam feitiços contra os funcionários e seguranças acrescentou.
Camponeses que falaram para os nossos repórteres, disseram que se trata de um terreno sagrado, antiga Ombala fundada pelo soba Muetunda que era filho do Wambu Kalunga, fundador da Província do Huambo.

É aqui onde anualmente realizávamos as festas dos nossos antepassados e outros rituais, aqui é nos Akokotos.

Eles derrubaram três mulembeiras que tinham mais de cento e vinte anos , plantadas pelo filho do Wambu kalunga antes dos portugueses ocuparem a nossa terra.


Nós queremos que eles deixem as nossas terras e coloquem as árvores no lugar. Um branco tinha recebido o terreno a força, mas a câmara de Nova Lisboa devolveu-nos o terreno em 1957, porque o branco sabia respeitar as Ombalas.

Eles são doutores e engenheiros e estão a desprezar-nos e chamam-nos por analfabetos por cima das terras dos nossos antepassados.

Eles que nos matem todos mas nós vamos resistir até ao fim , disseram. Uma fonte que pediu anonimato disse que o governador do Huambo, atravessa problemas sérios de saúde devido a onda de feitiço vinda do povo por causa de expropriações de terras.

Aos 22 de Outubro do corrente ano, um grupo de funcionários do Governo que pretendia derrubar residências já saiu de lá em debandada, pelo facto da população ter respondido com armas brancas.

(Postado por A. Kandimba)
Fonte: Repórter Sem Limite : www.ponto-final.net

1. akokoto, lugar sagrado onde tradicionalmente se guardam os restos, cranios, dos reis e rainhas.
Mapa retirado da obra Etnografia de Angola (Sudoeste e Centro), Esterman, Carlos, Obra citada, pag.34.
Mulembeira; do blog Angola, terra das Kiandas

Mais info sobre os lugares sagrados dos povos Ovimbundu:
http://kandimbafilms.blogspot.nl/2012/07/o-ori-de-hoje-tem-raizes-bantu.html
Enviar um comentário