segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Neste 11 de Novembro saudamos todos os angolanos. BD – Bloco Democrático


A todas as angolanas e angolanos, ao nosso povo sofredor, jovens, mulheres e homens. A todos aqueles que durante longo período colonial não pouparam esforços dando o melhor da sua juventude e das suas vidas para verem o nosso grande país independente queremos saudar vivamente.
A independência de Angola que muitas vidas e sofrimentos nos custaram resultou infelizmente num assalto do poder por um grupo de cidadãos que restauraram e agravaram o nosso sofrimento. Assistimos hoje ao assalto mais desenfreado das nossas riquezas praticada pelos próprios filhos da terra em franco conluio com a delinquência política e económica internacional.
Quando pensávamos que a independência traria, para todos, um clima de segurança, felicidade e liberdade, o saldo destes anos, foi o de uma guerra devastadora, de dezenas de milhares de presos e desaparecidos, sem que os familiares tivessem a possibilidade de enterrar os seus entes queridos.
As prisões multiplicaram-se, e a repressão brutal dos jovens tornou-se na forma mais comum de responder às suas legítimas preocupações. A fome mata milhares de jovens e crianças e compromete seriamente o futuro de muitos outros que nunca mais recuperarão das suas mazelas.
A liberdade e a justiça estão coartadas por manobras obscuras de um poder judicial também protetor da criminalidade e da fraude
O País assiste a uma das maiores invasões estrangeiras, silenciosas e que muitas vezes são os sustentáculos das atividades de agressão e delinquência dos detentores do poder.
O País vive às escuras e sem água, enfim, o nosso País foi transformado numa autêntica tormenta contra os seus cidadãos.
É contra esta insustentável situação que cada vez mais se levantam vozes, principalmente de jovens, numa luta para a conquista da dignidade, progresso, bem-estar e liberdade.
Bem-haja a todas angolanas e angolanos que se batem diarimente para que o País se torne numa verdadeira mãe pátria.
Pela Liberdade, modernidade e Cidadania lutaremos sempre.

Enviar um comentário