Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

BP do MPLA garante combater “em nome dos seus militantes” tentativas de desestabilização do país


Luanda – O Bureau Político do MPLA, partido no poder desde 1975, assegura que “continuará a lutar, em nome dos seus militantes, simpatizantes e amigos, pela consolidação da paz e da segurança interna e externa do país, combatendo energicamente todas as tentativas ou acções que visem desestabilizar o país e atentar contra as regras da democracia e da convivência pacífica”.

Fonte: Club-k.net

Estas declarações constam num dos parágrafos de uma nota de imprensa daquele partido distribuída, esta terça-feira, à imprensa, alusivo ao 53º aniversário do massacre de Baixa do Cassanje, ocorrido a 4 de Janeiro de 1961, na província de Malanje.

Ei-la.

Passados 53 anos do Massacre da Baixa de Kassanje, o MPLA garante, em nome dos seus militantes, simpatizantes e amigos, que continuará a lutar pela consolidação da paz e da segurança interna e externa do país, combatendo energicamente todas as tentativas ou acções que visem desestabilizar o país e atentar contra as regras da democracia e da convivência pacífica.
 
“Comemora-se, a 04 de Janeiro, o DIA DOS MÁRTIRES DA REPRESSÃO COLONIAL, em homenagem às vítimas do massacre ocorrido na Baixa de Kassanje, província de Malanje, em 1961, onde centenas de indefesos camponeses foram barbaramente assassinados, por reivindicarem melhores condições de trabalho e uma vida digna.

Instituído pela Assembleia Nacional como Data de Celebração Nacional, o MPLA considera o 04 de Janeiro como uma jornada de reflexão e exaltação, pelo contributo prestado por esses bravos camponeses, vítimas da violência do então regime colonial português, que tentava silenciar os anseios dos angolanos à liberdade.

Ao assinalarmos o 53º aniversário desse hediondo acto, o Bureau Político do MPLA manifesta o seu reconhecimento a todos os patriotas que se sacrificaram e deram a vida em defesa dos ideais de autodeterminação, ciente de que o seu exemplo vai perdurar na história e na memória do povo angolano.

Passados 53 anos do Massacre da Baixa de Kassanje, o MPLA garante, em nome dos seus militantes, simpatizantes e amigos, que continuará a lutar pela consolidação da paz e da segurança interna e externa do país, combatendo energicamente todas as tentativas ou acções que visem desestabilizar o país e atentar contra as regras da democracia e da convivência pacífica.

O MPLA exorta a todo o povo angolano a continuar a construir um país livre e soberano, onde a paz, tão duramente conquistada, seja o alicerce para a reconciliação nacional e o desenvolvimento de Angola, no quadro da sua estratégia de desenvolvimento, para que possa crescer mais e distribuir melhor.      

MPLA – ANGOLA A CRESCER MAIS E A DISTRIBUIR MELHOR
PAZ, TRABALHO E LIBERDADE
A LUTA CONTINUA
A VITÓRIA É CERTA.

Luanda, 03 de Janeiro de 2014.
O BUREAU POLÍTICO DO MPLA

Enviar um comentário