Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

«Marinha de Guerra Angola confirma o rapto do petroleiro


com a denominação MT Kerala registada a sete milhas náuticas (12,5 Kms) de Luanda»
Uma coisa é ser sequestrado dentro da zona económica exclusiva; outra, bem mais grave, ser dentro das nossas águas e tão perto da capital o que coloca toda a região sob iminência de ataques o que faz questionar das nossas capacidades e vigilâncias marítimas e aéreas.
Esta matéria e a necessidade de melhorarmos as nossas capacidades de intervenção marítima foi por mim abordada no meu ensaio (tese de Doutoramento) "Angola, potência em emergência" da editora Edições Colibri.

Enviar um comentário