sexta-feira, 1 de agosto de 2014

A luta dos professores da Huíla continua








CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES DA ASSEMBLEIA DE 26 DE JULHO
1- Que os professores continuem firmes e unidos olhando sempre nos objectivos comuns, e cônscios das consequências que podem advir dali;
2- Não é só do pão que viverá o homem mas de toda a palavra que sai da boca de Deus, tal como dizia Jesus quando tentado no Deserto. Com estas palavras os professores mostraram a sua determinação de continuar com a greve, pois não serão os descontos que os obrigarão a render-se pela coerção.
3- Toda e qualquer ameaça sobre a integridade física ou moral de um professor ou líder Sindical deve ser apresentada à Brigada de Segurança Escolar.
4- Os Professores mostraram-se descontentes com os descontos efectuados no mês de Julho numa clara violação ao artigo 21º da Lei nº 23/91 de 15 de Junho, “Lei da greve” que fala da suspensão de salário e não de desconto enquanto decorre a greve, lamentando o facto de os principais violadores do Despacho Presidencial Interno nº 06/11 de 29 de Dezembro, continuarem impunes.
5- Que se programe uma marcha para manifestar o desconto das 20 faltas que é uma clara violação no artigo 21º da lei da greve
6- Que os Representantes das Igrejas e da Sociedade Civil indaguem ao Principal Gestor da Província S. Excia Dr. João Marcelino Tchipingue o que fará com o principal culpado da greve, o Director Provincial da Educação, se será descontado ou que tratamento terá ou ainda se se fará a reposição dos valores descontados aos professores para equilibrar a balança da justiça visto que os professores punidos estão cobertos de razão;
7- A Assembleia pede ao Fórum de Concertação sobre a Greve na Huíla Que facilite a criação de um clima de negociação pacífico e harmonioso, sem discursos musculados desde o Governo Provincial até as Administrações Municipais para permitir um diálogo franco e aberto primando pela igualdade de Direitos;
8- Que o gesto de boa vontade dos professores pedido pelo Governo Provincial e o Fórum de Concertação sobre a greve na Huíla, seja também correspondido com o gesto de boa vontade do governo na Actualização de Categorias dos 5752 professores bem como no Pagamento das dívidas.
9- Os professores voltarão a reunir em assembleia no próximo sábado, dia 02 de Agosto do corrente ano.
In Sinprof Huíla. Facebook

Enviar um comentário