sábado, 9 de agosto de 2014

“Racismo e Más Condições Laborais na Multichoice Angola”








Paula Fontes
Portugueses em Angola. Facebook



Para os trabalhadores angolanos, segundo a
comissão que os representa, o salário
mínimo na Multichoice Angola é de 15 mil
kwanzas (US $150, enquanto o máximo
ronda os 150 mil kwanzas (US $1500). De
acordo com a referida comissão, os
expatriados, sobretudo portugueses, auferem
salários mensais mínimos de US $5,000
(transferidos para o exterior), mais ajuda de
custos mensais no valor de 200,000 kwanzas
(US $2,000). O salário máximo de um
expatriado ronda os US $15,000
(depositados no exterior), mais 500,000
kwanzas (US $5,000) de ajuda de custos
mensais.

Os descontentes acusam ainda a MAD de pouco ou nada investir na formação profissional dos trabalhadores angolanos, ao contrário dos estrangeiros. A título de exemplo, um dos empregados contou que em 2013 a direcção empregou uma jovem de nacionalidade portuguesa, que logo na segunda semana de trabalho “foi a graciada” com o pagamento de uma formação. “É só para ver como estamos a sertratados. Enquanto nós, que estamos aqui há mais de dois anos, nunca tivemos nenhuma formação sequer”, desabafou.



Enviar um comentário