Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Angola: Bloco Democrático propõe plataforma da oposição Unita e CASA apoiam a ideia


Manuel José
VOA

A Unita e a CASA-CE declararam o seu apoio à formação de  uma “plataforma de concertação” da oposição proposta pelo Bloco Democrático.

Uma das conclusões da sexta reunião da Comissão Política do Bloco Democrático vai para a criação de uma plataforma de concertação com as forças políticas na oposição para uma cruzada contra todas as formas de violações da lei e da Constituição.
O Secretário-geral do BD, Filomeno Vieira Lopes, disse à Voz da América que é preciso unir sinergias contra as injustiças perpetradas pelo actual regime no poder em Angola.

"Devem todas as actividades políticas da oposição ver aquilo que conjuntamente devem estudar entre todos e agir como uma única força suficiente capaz de resolver algumas causas em benefício do povo angolano", disse acrescentando que essa é a única maneira que há para demover do poder o actual regime.

"Se não existir uma acção conjugada entre os partidos políticos e outras personalidades que tenham uma visão política vai ser praticamente impossível demovermos o obstáculo para que em Angola haja um clima de liberdade, democracia e reconciliação," afirmou.

A proposta foi  aplaudida pelo maior partido na oposição em Angola.

O Secretário-geral da Unita, Vitorino Nhany acredita que a ideia é boa e a defesa dos direitos dos cidadãos deve ser o cavalo de batalha desta plataforma.

"Essa plataforma comum é salutar, para defendermos os interesses dos angolanos porque quem devia defender esses direitos viola a constituição e naturalmente isso dá azo a que os seus subordinados e outros também violem a própria constituição e a lei”, disse.

A CASA-CE também considera uma medida necessária, para acabar com o regime que se perpetua no poder.

"'É bem-vindo todo esforço conjugado para acabarmos com esta situação que vivemos há sensivelmente 39 anos e que tem nos retirado um pouco da nossa dignidade e auto estima, para resgatarmos isto mesmo e trazermos para Angola um sistema de governação que sirva os interesses dos cidadãos," disse o Secretário executivo nacional da CASA-CE, Leonel Gomes.
Enviar um comentário