quinta-feira, 24 de abril de 2014

Usando meios do Estado, MPLA volta aos tempos de Guerra. CASA-CE


O Secretário Provincial da CASA-CE de Cabinda, José Lello, denunciou a Governadora Provincial de Cabinda, Aldina da Lomba de pretender suborná-lo a abandonar a CASA e denegrir a imagem e a moral de Abel Chivukuvuku em troca de alguns meios. Estas denúncias foram feitas pelo próprio José Lello por ocasião da Palestra proferida pelo Presidente da CASA-CE, Abel Chivukuvuku este sábado 19 de Abril de 2014 em Cacuaco.

Fonte: CASA-CE

Com efeito, o MPLA volta vergonhosamente a activar sua máquina de campanha de denegrimento de personalidades e destruição dos partidos de oposição. Militantes e dirigentes dos partidos da oposição são visados, corrompidos e forçados a abandonarem suas organizações e fazerem falsas declarações a condenarem e infamarem seus presidentes, sobretudo os catalogados como potenciais sucessores à Presidência da República.
Depois das tristes novelas exibidas e protagonizadas por desavergonhados aprendizes de feiticeiros políticos onde manifestaram publicamente como homens de grandes feitos por terem abandonado suas respectivas organizações, com alegações sem fundamentos, usando de fabulosos tempos de antena e editoriais inflamatórios nos jornais do Estado e, lançando promessas irresponsáveis, desta feita foi a vez da Governadora Provincial de Cabinda Aldina Matilde da Lomba que é acusada de, sem pejo, intentar contra a dignidade do Secretário Provincial da CASA-CE de Cabinda, senhor José Lello, ludibriá-lo a abandonar a CASA-CE e prestar declarações comprometedoras urdidas contra o Presidente Abel Chivukuvuku e a CASA, em troca de um carro, uma casa e um punhado de dólares.
Por estas e outras razões, todo aquele apátrida e sem escrúpulos que surgir na televisão, na rádio ou outro meio qualquer a lançar disparates sob não importa que pretextos, é sem dúvida mercadoria venenosa produzida por pessoas mal-intencionadas do Governo que roubam o dinheiro do Povo para darem continuidade a guerra que jamais cessou por outros meios, volvidos que são os ditos 12 anos de paz, ou melhor de armistício.
Estas denúncias feitas por José Lello e aqui publicadas são um desafio a Governadora de Cabinda a um desmentido público nacional e internacional, se necessário um confronto judicial.
Enviar um comentário