Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

“expatriados chineses, envolvidos em acidentes de viação”


O número de estrangei­ros, sobretudo expatriados chineses, envolvidos em acidentes de viação tem vindo a crescer ultimamen­te, ao ponto de, na semana passada, o próprio comissá­rio geral da Polícia Nacio­nal, Ambrósio de Lemos, ter admitido publicamente que a nossa polícia tem sido condescendente em relação aos potenciais infractores es­trangeiros, em princípio ina­bilitados para conduzirem no país, sem trocar as cartas. Esta «condescendência» es­tende-se aos automobilistas nacionais, devido sobretudo à conduta indecorosa de al­guns agentes policiais, que já perderam totalmente a au­toridade, por se entregarem desalmadamente a actos de corrupção.
Semanário Angolense. Edição 553 de 22 de Fevereiro de 2014.
Enviar um comentário