Luanda, 13 de Abril 2014. A câmara de gás continua! Há 9 dias e noites que o banco millennium nos gaseia. SOS UNICEF, CRIANÇAS NA MORTE! O monstro gerador do banco millennium, na rua rei Katyavala, mata com o fumo e o barulho. Dormir não! Pobres crianças, e idosos, que precocemente morrerão cancerosos, vítimas do neocolonialismo. Este petróleo por onde passa deixa um cortejo de cadáveres. Quem promove tumultos, o descalabro social e manifestações de rua? Quem é?! E o terreno foi espoliado.

segunda-feira, 23 de Abril de 2012

Bispo censura acção do governador de Cabinda



Lisboa - O Bispo de Cabinda, D. Filomeno Vieira Dias, censura, em privado, a acção do actual governador provincial, Mawete João Batista, nomeadamente no que toca às suas políticas nos planos do desenvolvimento económico-social do território, satisfação de condições básicas de vida da população e propensão para o autoritarismo.

Fonte: AM Intelligence Club-k.net
Os desabafos depreciativos do Bispo em relação à acção do governador, manifestados, inclusive, ao próprio PR, José Eduardo dos Santos (JES), adquirem especial importância devido a posições que o mesmo até há pouco denotava, descritas como “contemporizadoras” com o status-quo do território e com as suas autoridades.

Continuam a ser referenciados na população de Cabinda sentimentos de descontentamento alimentados por distorções da governação de Mawete J Batista, como o emprego sistemático de políticas e métodos repressivos e/ou de discriminação social para lidar/controlar indivíduos considerados “não merecedores de confiança política” ou conotados com a oposição (em ambos os casos predominam nativos do território.

Também apontada é a degradação de condições básicas de vida da população em resultado de práticas de má gestão da administração e/ou do sector empresarial público ou, ainda, da imposição de controversos critérios de segurança na definição e lançamento de projectos de investimento.

O governador, fisicamente mais ausente que presente do território, devido a supostas razões de saúde, não deixa transparecer, porém, embaraço e/ou ou temor face à reputação notoriamente negativa que concitou na população. É-lhe atribuída a expressão “tudo o que faço é do conhecimento do Presidente”.


Sem comentários: