Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

terça-feira, 3 de junho de 2014

Em Luanda: Assassinato de muçulmanos causa apreensão


Crentes muçulmanos acreditam que os assassinatos não têm motivos religiosos

Coque Mukuta
VOA

O assassinato de vários muçulmanos em Luanda está a provocar alguma ansiedade entre a comunidade islâmica.
Nos dias 23 e 27 deste mês registaram-se mais duas mortes de cidadãos estrangeiros que professam a religião muçulmana.
Crentes muçulmanos acreditam que os assassinatos não têm motivos religiosos.
Afirmam, contudo, que os responsáveis pelos crimes não têm sido levados perante a justiça.
Segundo Dialo Muhamed o último muçulmano assassinado esta semana foi morto com tres tiros.
Desde 2013, o número de vítimas mortais muçulmanas é de 12 pessoas em Luanda  - segundo Muhamed .
“Só este mês já mataram três, às vezes prendem os bandidos, às vezes soltam e não sabemos porque que os soltam” disse Muhamed sublinhando que a comunidade está a colaborar com a polícia nas investigações.
A reportagem da VOA procurou falar com a polícia em Luanda sobre o assunto sem grande sucesso. A polícia promete, contudo, pronunciar-se sobre o assunto a qualquer momento.

Imagem: Um muçulmano em frente a uma mesquita destruída em Luanda a mando das autoridades por ser ilegal.
Enviar um comentário