Luanda. Desde as 07.40 horas do dia 10 de Março que o gerador do banco millennium, Rua Rei Katyavala – o banco da morte – trabalha dia e noite. A energia eléctrica está normal. As janelas e portas têm que ficar cerradas porque o fumo é mortal. No dia 13, três mercenários portugueses ao serviço do crime organizado estiveram no local e aprovaram a mortandade. Como o banco é da mana Isabel, ela quer lá saber disso. Continuamos no colonialismo antes da independência, do grito: VITÓRIA OU MORTE!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Discurso de Samora Machel na Beira em 1975


“Ouviram” ?
“Vão tentar nascer aqui em Moçambique capitalistas pretos, que vão tentar explorar outros pretos, estudou um pouquinho ou licenciou -se, tem o seu diplomazito, pronto! Está pronto, está autorizado a explorar…”
Beira (Canalmoz) – Em 1975, ano da Independência Nacional, o primeiro presidente da República, Samora Moisés Machel, proferiu, na Beira, um discurso de que reproduzimos a seguir uma passagem que não deixa de ser curiosa no contexto actual:
“Vão tentar nascer aqui em Moçambique capitalistas pretos, que vão tentar explorar outros pretos, estudou um pouquinho ou licenciou -se, tem o seu diplomazito, pronto! Está pronto, está autorizado a explorar. É o Senhor Doutor, ele não produz, senão uma repetição daquilo que foi inculcado pelo capitalismo. Seremos últimos quando se trata de benefícios. Primeiros quando se trata de sacrifícios. Isto, é que é servir o povo, ouviram camaradas? Ouviram? Vocês todos são pobres aqui! Pobres! Daqui a 3 anos nós vamos ver alguns a levantarem edifícios de 15 andares. Onde arranjou esse dinheiro? Se eu levantar um prédio, façam favor de me perguntar. Ouviram?.. “ (Redacção)
Enviar um comentário