Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Hoje na rádio Luanda, acompanhei uma reportagem chocante e bastante perigosa


 o q mostra q realmente há mta coisa feia acontecendo no País q nós não temos conhecimento. Se o presidente de Angola não sabia q as zungueiras são maltratadas pelos 'fiscais' (bandidos), algo tão notório, de certeza absoluta q não sabe tb o q se passa no Icolo e Bengo. Segundo um munícipe local, a questão dos terrenos (é a conclusão q se chegou) tem sido mortal naquela localidade, ao ponto dos funcionários da Administração local receberem constantemente telefonemas anônimos, cujo teor é a ameaça de morte. Há alguns dias 2 funcionários andaram desaparecidos e mais tarde foram encontrados mortos, tendo havido relatos de um grupo de delinquentes vindo do Cazenga, pagos para cometer tais atrocidades. A polícia está a par da situação, pelo q se disse, embora sem dados mais concretos para informar os moradores daquela região. Depois da reportagem, entrevistaram um Senhor, filho dum ex funcionário da Administração local, morto por meliantes a 1 ano atrás, não tendo até a presente data, conhecimento do resultado da investigação. Td o q ele ouvia da polícia é q provavelmente o seu Pai tenha sido morto na sequência dum roubo da sua viatura, mas mais tarde encontraram a viatura roubada, com o agravante de ser desmantelada sob custódia da polícia (coisa q acontece mto). O mesmo já recorreu a Inspecção Geral da Polícia, mas até agora, passado 1 ano, não obteve resposta. Portanto, ao q parece estas mortes têm um denominador comum: Icolo e Bengo. Oxalá q a polícia possa desvendar o q realmente se passa, pq não vive sob ameaças de mortes e os funcionários da Administração local sabem q há uma lista de pessoas a abater, segundo relatou o munícipe entrevistado.
Fábio Sagres . Facebook


Enviar um comentário