Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Polícia Federal prende angolano que tentava sair do Brasil com cocaína

Os agentes desconfiaram do nervosismo dele e na revista encontraram dois pacotes com a droga, presos com fita adesiva, em suas pernas


Por Redação, com ABr - do Rio de Janeiro

A Polícia Federal (PF) prendeu um angolano que tentava embarcar com 1
quilo de cocaína no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão, Antonio Carlos Jobim. De acordo com a PF, o homem, de 38 anos, foi abordado por policiais durante a fiscalização na sala de embarque. Os agentes desconfiaram do nervosismo dele e na revista encontraram dois pacotes com a droga, presos com fita adesiva, em suas pernas.
Após a prisão feita nesta terça-feira, o homem revelou que está desempregado e para sustentar a família, comprou a cocaína para revender em Luanda, em Angola. Ele responderá pelo crime de tráfico internacional de drogas. Segundo a PF, a pena varia de 5 a 15 anos de reclusão.
A PF apreendeu, no fim da tarde, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, cerca de 8 toneladas de maconha. Na operação foram presos também seis homens em um posto de gasolina na altura do km 13 da Rodovia Presidente Dutra, em Nova Iguaçu.
A polícia chegou ao local por meio de uma informação anônima, de que um caminhão procedente do Paraná transportava grande quantidade de maconha. O caminhão foi apreendido no início da tarde com sacos de farinha, mas após as buscas, os agentes encontraram a droga no assoalho da carroceria.
Segundo a PF, entre os detidos está o traficante conhecido como Bonitão, que integra uma facção criminosa que atua no estado do Rio de Janeiro. O caminhão foi levado à sede da PF na Praça Mauá, no centro do Rio. Os presos responderão por tráfico interestadual de drogas. A pena também pode variar de 5 a 15 anos de reclusão.

Enviar um comentário