APELO AO PR JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS. O banco millennium Angola na rua rei Katyavala roubou-nos o terreno e nele montou um gigante gerador que dia e noite nos mata com fumo mortal. Não se justifica este crime horrível porque há energia eléctrica. Os moradores já se queixaram mas em vão. Já há anos que vivemos de janelas e portas fechadas. Apelamos para que V. Ex.ª ordene o fim imediato deste crime e que os culpados sejam enviados para a justiça e que os lesados recebam as devidas indemnizações.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A Verdadeira história da Build Angola


Carissímos,

Verdade ou não vamos ficar atentos e exigir toda a documentação desses
condomínios que prometem o céu e a terra. Tudo começa por um preço muito
aliciante que para nós que sobrevivemos do salário é ouro sobre azul.

Fonte: email

Muita cautela!!!
Me chamo Matias Lukoki e trabalho na Sonangol a mais de 3 anos.
Em 2008 aderi ao projecto THE ONE e também ao projecto COPACABANA e para
minha frustração até hoje não recebi minhas chaves!
O projecto THE ONE já está atrasado a mais de 15 meses e sem previsão de
encerramento, enquanto o COPACABANA foi cancelado. Neste ultimo projecto
tentei em vão recuperar mais USD 300 mil que eu e minha esposa demos como
pagamento do apartamento e apesar da minha insistência os funcionários da
Build Brasil não atendem mais minhas ligações e não me dão retorno.
Semana passada fiquei indignado com uma declaração de um amigo que trabalha
na Build Angola. Ele me contou sobre o que acontece de facto nesta empresa
de empresários brasileiros sem ética e respeito a nós angolanos.
A empresa Build Angola que já alterou seu nome três vezes (começou com Build
Invest, passou para Build Brasil e hoje se auto-proclama Build Angola) na
verdade se chama READI ANGOLA. Por que tantas mudanças?
DOCUMENTAÇÃO DA EMPRESA
Esta empresa que se diz Build Angola e cujo proprietário se diz o Sr. Paulo
Sodré (vejam a entrevista no "Entrevista Angola" da TV Record em
http://www.youtube.com/watch?v=hc0dfukSOI4
http://www.youtube.com/watch?v=hc0dfukSOI4> ) é na verdade READI ANGOLA,
LDA e o único documento que liga a READI Angola (cuja propriedade é das
senhoras Joana do Sacramento Pereira de Andrade e Baulete de Almeida dos
Santos Garcia) é um contrato promessa de cessão de cotas. Esses senhores que
dizem ter feito da Build Angola uma empresa angolana não tem sequer uma
pessoa jurídica em Angola e tem como objecto social apenas a prestação de
serviços mercantis.
O Sr. EDSON ARANTES DO NASCIMENTO (o jogador Pelé) não tem nenhuma
participação na empresa e nem em nenhum empreendimento. Foi somente pago
para fazer a publicidade, visto que é uma pessoa conhecida e desvia a
atenção dos bastidores da empresa.
O ANDAR DAS OBRAS
A empresa que recentemente em comercial de TV disse já ter entregue 150
unidades em Angola jamais concluiu nenhum projecto. Veja o status de cada um
dos projectos:
THE ONE - A entrega era para Outubro de 2009 (isso mesmo, para mais de um
ano atrás) e até agora o ritmo das obras é nulo. Qualquer um que passa em
frente à obra na Estrada do Golfe mal percebe.
COPACABANA - Projecto cancelado. Inúmeros proprietários como eu enganados
Pessoas de boa fé que adquiriram um projecto e não receberam até hoje as
famosas "chaves na mão" ou a compensação financeira!
QUINTAS DO RIO BENGO - As quintas que estão a ser prometidas para o Natal
não estão nem próximas de serem concluídas e isto pode ser facilmente visto
por quem passa pela estrada da Funda. As imagens no comercial de TV são
somente das casas-modelo que foram construídas para promover o projecto.
BEM MORAR - O projecto que tem entrega prevista para Abril de 2011 (ou seja,
daqui a 05 meses) não tem sequer a fundação da maioria das casas. Fizeram as
ruas e dois prédios (que chamam mais a atenção) e nada mais.
NOSSO LAR - Mais uma vez fizeram um grande Stand de Vendas e duas casas
modelos, porém bem longe da real localização do condomínio. A empresa também
não apresenta nenhum documento que comprova a titularidade dos terrenos
aonde está a construir como foi comprovado pelo Semanário Angolense de
25/09/2010. A empresa se recusou a mostrar qualquer documento. A "Build
Angola / READI" inclusive mandou comprar todos os jornais quando saiu esta
edição.
Por fim ficam algumas questões a serem respondidas:
- Como é possível uma empresa que jamais terminou um projecto estar a
promover 06 projectos ao mesmo tempo (The One, Quintas do Rio Bengo, Bem
Morar Benfica, Bem Morar Samba, Nosso Lar e Nossa Vila)?
- De onde vem o dinheiro para insistentes anúncios publicitários num número
tão grande de veículos? Não seria esse dinheiro mais bem investido na
conclusão das obras?
- Por que a empresa se recusa a apresentar os documentos de suas obras
(Direito de Superfície e Licença de Construção)?
- Por que a empresa não é registada como Build Angola? Quem é a READI?
- Por que os proprietários da empresa usam o nome "Build Angola" sendo que
esta empresa não existe?
- Quem são de facto os senhores António Paulo de Azevedo Sodré, João
Gualberto Ribeiro Conrado Júnior, Paulo Henrique de Freitas Marinho e
Ricardo Boer Nemeth? Por que eles são sócios de uma empresa que não existe?
Qual o histórico destes senhores no Brasil?
- Por que uma empresa que tem em seu Alvará Comercial a actividade de
Prestação de Serviços mercantis actua no ramo imobiliário?
- Nós estamos prontos para mais uma falsa promessa como Lar do Patriota ou
Jardins do Éden?

Tenho muitos colegas de empresas de renome como BP, TOTAL, Esso e da própria
Sonangol aflitos pela situação e que colocaram dinheiro nesta empresa.
Vamos exigir das nossas autoridades uma fiscalização mais rigorosa, com
maior transparência e respeito aos cidadãos angolanos! Precisamos de
empresas que se preocupem menos em publicidade, compra de notícias e
contratação de personalidades e se preocupem mais em construir e entregar o
que prometem!
Peço a todos que encaminhem este email ao maior número de pessoas possíveis
para criarmos uma corrente de protecção dos nossos direitos como angolanos!
Vamos acabar com a mentira que ronda este tipo de negócio.

Imagem:
http://charges.uol.com.br/emails-comentados/2009/05/18/negocio-imobiliario
Enviar um comentário