Luanda. Desde as 07.40 horas do dia 10 de Março que o gerador do banco millennium, Rua Rei Katyavala – o banco da morte – trabalha dia e noite. A energia eléctrica está normal. As janelas e portas têm que ficar cerradas porque o fumo é mortal. No dia 13, três mercenários portugueses ao serviço do crime organizado estiveram no local e aprovaram a mortandade. Como o banco é da mana Isabel, ela quer lá saber disso. Continuamos no colonialismo antes da independência, do grito: VITÓRIA OU MORTE!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

MORTE NA IURD: Vigília da Igreja Universal mata 16 pessoas em Angola


DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS E FOLHA DE SÃO PAULO
O número de pessoas mortas em uma avalanche que aconteceu na noite de Ano-Novo, em Luanda (Angola), chegou a 16, de acordo com as autoridades. Mais de cem ficaram feridos.
O deslizamento aconteceu quando uma multidão tentava entrar em um estádio já lotado onde acontecia uma vigília evangélica em comemoração a 2013. A maior parte das vítimas foi asfixiada ou pisoteada. Segundo as autoridades angolanas, entre as vítimas estão três crianças.
"Esperávamos 70 mil pessoas, mas o número foi amplamente superado", explicou o bispo Ferner Batalha, da Igreja Universal do Reino de Deus, à agência de notícias angolana Angop.
Segundo o porta-voz da Defesa Civil, Faustino Sebastião, citado pela Angop, as dez vítimas morreram pisoteadas e asfixiadas pela multidão na entrada do estádio Cidadela Desportiva, que teve apenas dois de seus quatro portões abertos.



Enviar um comentário