segunda-feira, 8 de abril de 2013

Filhos de membros do regime com contas milionárias




Lisboa -   Um memorando independente, de circulação restrita,  indica, que depois dos  filhos  do Presidente José  Eduardo dos Santos,  o jovem mais avançado em termos de carteira de depósitos, entre os rebentos de membros do regime,  é um dos filhos do antigo ministro das finanças, José Pedro de Morais Junior, de seu nome Ivan Leite  Morais.
Fonte: Club-k.net
Tem mais dinheiro que Rui Falcão ou  Kassoma
O memorando refere que até poucos meses, Ivan Morais detinha em liquido cerca de 56 milhões de dólares, não obstante, a avaliação das participações que tem em empresas em Angola.  O jovem acaba por ter mais fundos que  Paulo Kassoma que tem uma fortuna   inferior a  50 milhões de dólares americanos. 

A seguir estarão Mirco de Jesus Martins, (enteado de  Manuel Vicente) e um filho do Ministro de Estado e Chefe da Casa Militar da PR, que tem o mesmo nome do pai, Kopelipa Vieira Dias “Buchecha”.  De todos eles, Mirco é o que é referenciado  como “discreto, mais organizado e com negócios sustentáveis”. Para além de ter participações no Banco Kwanza, Mirco gere empresas do pai como o grupo Vernos e a Sakus – Empreendimentos e Participações S.A que detém 3.6 por cento do capital do BAI. Já o filho do general “Kopelipa”  gere   uma holding familiar, a  Kopelson Investimentos  ao qual fazem parte 17 empresas.  Todos estes jovens acabam por serem pontas de lanças dos respectivos pais.

Um filho da ministra do ambiente, Fátima Jardim, identificado por Hélder Jardim Balsa detém cerca de 15 milhões de dólares, numa conta no BFA. Embora esteja em seu nome, estima-se que sejam da sua progenitora. (O jovem não apresenta sinais de ostentação)
O destaque que se dedica  a  Ivan Morais, é que apesar de ser igualmente testa de ferro do pai, Pedro, ele é o que, pelo menos,  tem uma conta bancaria milionaria,  com dinheiros que são seus. (A fortuna do seu pai esta acima dos 500 milhões de dólares.)

De 32 anos, Ivan Morais  estudou nos Estados Unidos ao tempo em que o ex- governante trabalhou no banco mundial. Quando o seu progenitor regressou a Angola e de seguida ocupou o cargo de Ministro das Finanças, o jovem terá se inserido num esquema de subfaturação em torno de dividas publicas e ao mesmo tempo, sob a égide do pai, entrou em sociedades financeiras.  Tem participações na Global Seguro e no Banco BNI, em representação de Pedro de Morais, ocupando nestas duas instituições a posição de vogal suplente dos respectivos conselhos de administração.

É ligado a  Tchizé  dos Santos. Há dois anos, reconhecendo a sua capacidade financeira, a filha do Presidente angolano  lhe proporia a compra de uma das suas empresas, mas que Ivan  acabara por recuar.    Em 2008, ambos contrataram, uma empresa portuguesa, a Julio Quaresma - arquitectos e engenharia associados, que construiu as suas casas de praia,  na ilha do Mussulo. Tchizé e Ivan  estão agora ligados na parceria  de uma nova empresa de construção em Angola.

Enviar um comentário