terça-feira, 31 de julho de 2012

Figuras do regime (de Angola) com fortunas acima de um bilhão de dólares


Lisboa -  Pelo menos cerca de sete figuras angolanas integram uma lista de personalidades africanas   cujas fortunas, adquiridas por meios não claros,  estarão  já na  ordem  dos bilhões de dólares.  A conclusão   consta  no “draft” de  um memorando restrito, qualificado, sobre o tema da transparência no regime angolano.

Fonte: Club-k.net
Manuel Vicente com fortuna de  USD 3 bilhões
O memorando, baseado em activos e carteira de investimento das referidas figuras ou de outras  ligadas aos mesmos  estima que a riqueza do Presidente José Eduardo dos Santos estará na ordem dos 10 bilhões de dólares  sendo que algumas das suas participações encontram-se associadas ao nome  do general Leopoldino Fragoso do Nascimento “Dino”, ex- chefe das comunicações da PR e consultor da Casa Militar.

A sua filha, Isabel dos Santos,  é lhe atribuída uma fortuna que oscilam entre 4 a 5 bilhões de dólares. O memorando realça ainda que por altura do surgimento  do escândalo do “angolagate”, foi  descoberta  uma conta comum (de um bilhão de dólares norte americano), em “off shore”,  que a mesma partilhava com o general Manuel Vieira Dias “Kopelipa”.

A terceira figura da lista dos bilionários angolanos,  é Manuel Domingos Vicente, ex – PCA da Sonangol e candidato a Vice- PR pelas listas do MPLA. A sua  fortuna é estimada   em 3 bilhões de dólares.  O general Manuel  “Kopelipa” aparece como  o quarto  da lista com uma fortuna de 2 bilhões  e logo a seguir vêem  o general Higino Lopes Carneiro  que é o único  de “fora do circulo presidencial”   com  uma riqueza avaliada em 1, 5 bilhões de dólares.   O  general Leopoldino do Nascimento  aparece  igualmente como estando nesta categoria de bilhões porem na cauda da lista. 

Personalidades com fortuna na casa dos bilhões de dólares 
José Eduardo dos Santos: 
 Isabel dos Santos, empresaria e filha do PR
 Manuel Vicente, Ministro de Estado para coordenação econômica
Manuel Vieira Dias “Kopelipa”, Ministro de Estado e Chefe da Casa Civil
 Higino Lopes Carneiro, Chefe adjunto da bancada parlamentar   do MPLA
Leopoldino Fragoso do Nascimento, ex- chefe das telecomunicações da PR e consultor  da Casa Militar

Personalidades com fortunas  acima de  500 milhões de dólares:
 João de Matos, ex – Chefe de EMGFAA
 José Pedro de Morais, ex – Ministro das finanças
Orlando  Veloso,  PCE  da Sonangol Imobiliária
José Leitão da Costa e Silva, ex- director do gabinete do PR e PCA do grupo Gema
José Carlos de Castro Paiva, Administrador  não-executivo  da Sonangol
Aguinaldo Jaime, ex – Coordenador da ANIP
Antônio França “Ndalu”, Deputado e Membro do BP do MPLA
Kundy Paihama – Ministro dos antigos combatentes e veteranos da pátria

O “draft”  realça,  que figuras como o Chefe da Casa Civil, Carlos Feijó, o Ministro do MAPESS,  Antônio Pitra Neto, e o Secretario do Conselho de Ministro, Frederico Cardoso  tem  feito esforços “empresarias” para chegar na casa dos 500 milhões de dólares. 
Analisa  por outro lado  a existência de  gestores na Sonangol com acumulação de fortunas que são superiores as de  figuras políticas. Dá-se  como exemplo o caso do PCE  da Sonangol Imobiliária,  Orlando  Veloso,  que terá mais dinheiro  que o Vice- Presidente da República, Fernando Dias dos Santos “Nandó”. Veloso conforme citado anteriormente tem a fortuna a cima dos 500 milhões enquanto que “Nandó”  estará  “apenas” acima de 100 milhões de dólares. 
Outro exemplo é o de um   Administrador  da petrolífera estatal  angolana  Baptista Sumbe que se compara ao Presidente do parlamento,  Paulo Kassoma. Sumbe tem  a fortuna  entre 50 a 100 milhões  e  a  Kassoma algo que refere ser  inferior aos 50 milhões de dólares americanos.  O líder da Assembléia Nacional que o consideram “pobre” tem a cima de si, figuras do generalato Generais Carlos Hendrick Silva e Fernando Araujo cujas fortunas estão a cima dos 100 milhões de dólares.

Os gestores da Sonangol são referenciados como figuras que se enriquecem por intermédio do processo de  contratação.  Se um contrato de petróleo  valer  300 milhões de dólares, os referidos gestores  pedem  50 ou 75 milhões que vai para as suas respectivas contas pessoais.  Há   personalidades  que terão  ficado  milionárias, com mais de US $100 milhões recorrendo a empréstimos no BNA, que nunca pagaram de volta.

Enviar um comentário