quinta-feira, 19 de julho de 2012

MPLA promete habitação para mais de dois milhões de angolanos



Luanda – Trezentos e cinquenta mil e noventa e um (350.091) fogos de diferentes tipologias, que alojarão uma população estimada em dois milhões cem mil e quinhentos e quarenta e seis (2.100.546) habitantes, estão a ser erguidas em todo o país, no quadro do programa de governação do MPLA para o período de 2008 a 2012.

Fonte: Angop Club-k.net
Alega que programa habitacional de 2008 foi revisto
Esta informação foi prestada pelo secretário para os assuntos económicos do Bureau Político do MPLA, Manuel Nunes Júnior, quando apresentava, no Centro de Conferências de Belas, em Luanda, o Programa de Governação para o período de 2012 a 2017 e o Manifesto Eleitoral do partido.

Em cerimónia orientada pelo Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, Manuel Nunes Júnior informou que foram concluídos 3.180 apartamentos da nova centralidade do Kilamba, em Luanda, e que ainda este ano serão entregues outros 16.822 apartamentos.

Referiu que estão em curso grandes projectos de requalificação do Sambizanga e do Cazenga, bem como edificadas novas centralidades em Malanje, Dundo (Lunda Norte) e Cabinda. Em Luanda, o político disse que está igualmente em curso a construção, no regime de casas evolutivas, de três mil fogos e a edificação, até ao presente ano, de mais outros cinco mil, numa área infra estruturada para 20 mil fogos.

Segundo o secretário do Bureau Político, estas moradias destinam-se às famílias que ainda vivem em tendas nos bairros de Cacuaco, Viana e Zango e o mesmo estender-se-á às populações em situação idêntica das províncias da Huíla, Cunene, Huambo e Namibe. Enfatizou que a meta geral do programa, contando com a auto-construção e com as parcerias públicos e privadas, é de assegurar o alojamento e promoção de habitação social para uma cifra de 564 mil famílias, o correspondente a 3,3 milhões de pessoas.

Manuel Nunes Júnior lembrou que o programa habitacional apresentado pelo MPLA a quando das eleições de 2008 foi revisto devido à crise económica e financeira internacional, tendo sido identificadas acções concretas no domínio do realojamento das populações, das novas centralidades, da auto-construção e da edificação de casas sociais.

A cerimónia de apresentação do Programa de Governação para o período de 2012 a 2017 e o Manifesto Eleitoral do partido contou com a presença de membros do Bureau Político do MPLA, com destaque para o seu vice-presidente e o seu secretário-geral, respectivamente Roberto de Almeida e Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse”.

Deputados do MPLA, membros do seu comité central, provinciais, da sociedade civil, igrejas e membros do corpo diplomático acreditado em Angola estiveram também presentes na cerimónia de apresentação dos dois documentos.

Enviar um comentário