terça-feira, 31 de julho de 2012

Reverendo Luis Nguimbi quer que oposição se comprometa aceitar qualquer resultado nas eleições



Lisboa - O secretário-geral  do Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (CICA), reverendo Luís Nguimbi  tem marcado para o próximo dia 3 de Agosto uma reunião com o clero que visa fazer um apelo aos partidos políticos da oposição em Angola para que se comprometam  em aceitar quaisquer resultados que sair das próximas eleições gerais.
Fonte: Club-k.net
A decisão do pastor  foi previamente acertada num encontro realizado a 24 de Julho no hotel fórum em Luanda com outras figuras das Igrejas Cristãs e na presença de Roberto de Almeida e Lurdes Viegas do MPLA.  A argumentação do  reverendo Luís Nguimbi   é de que poderá haver falhas no processo eleitoral  mas estas são normais porque “errar  é humano”  razão pela qual entende que a oposição deve comprometer-se em analisar o seu apelo em nome da paz.

Para final do mês, poucos dias antes da realização das eleições, o CICA tenciona reunir-se novamente para promover  um culto ecumênico para preservação da Paz em Angola.    

Luís Nguimbi  é uma figura que no passado ganhou respeito mas que entretanto viu perder dignidade no momento que passou a ter postura de enaltecimento ao regime angolano.  Em 2008, integrou as listas de candidatos a deputado pelo MPLA. Em privado negou dizendo que foi uma cilada que lhe foi montada pelo regime. Na altura, deslocou-se a sede do partido no poder para um encontro com Dino Matross a fim de retirar o seu nome da referida lista. Logo  a seguir, foi pressionado  por uma corrente de pastores coerentes no sentido de fazer uma conferencia de imprensa para denunciar a “cilada” do MPLA. Alegou,  na altura que não podia porque poria a sua vida em risco.
Nas últimas semanas reapareceu fazendo elogios  ao programa do MPLA. Perante as criticas dos crentes argumentou que foi novamente  alvo de cilada  dos jornalistas do regime que terão manipulado as suas palavras.

O CICA procura uma  outra figura para o substituir nos próximos meses.  O  seu mandato em frente desta congregação terminou em Fevereiro de 2012, mas por efeito de uma concertação entre os pastores foi decidido que ficasse até Novembro do corrente ano  até  que se encontre um candidato de consenso e que não volte a comprometer  este fórum de Igrejas Cristãs ao poder político em Angola.  

Enviar um comentário