sábado, 23 de fevereiro de 2013

Grupo Ducard na falência




Lisboa – O Grupo Ducard, pertencente ao empresário Lourenço Duarte (na foto) em parceria com  o político Frederico Cardoso  do MPLA, está  a ser descrito em meios  financeiros  em Luanda como estando a observar fase de  falência,  cujos mentores recusam admitir.

Fonte: Club-k.net

Empresa não paga salários a mais de um ano
A Air26 que é uma das empresas de exploração área encerrou as suas portas em Outubro passado  e os seus trabalhadores estão a cerca de  9 meses sem salários. Entre os trabalhadores constam os pilotos e outros.  No período do seu encerramento, a Sonangol havia  suspendido  a distribuição de combustível as aeronaves da empresa, por falta de pagamento.

A  Valey  Soft, empresa que esteve envolvida na preparação da logística das eleições de 2008, esta igualmente sem acção. A sua sede no Alvalade encontra-se paralisada e em reação os seus funcionários observam greve para exigir da direção, salários atrasados  que correspondem aos últimos 14 meses.

Um grupo de expatriado, que se encontra  no país, ao serviço do Grupo Ducard esta em fase critica, associada a problemas  regularização da sua permanência em território  angolano devido aos  vistos  de trabalho  que terão já expirado. Faz  parte desde  grupo, elementos de nacionalidade portuguesa e filipina.

 O MAPESS está  em vias de notificar este grupo empresarial por fuga ao fisco.  De acordo com um levantamento efectuado por este ministério, o  Grupo Ducard  desconta aos trabalhadores a parte reservada a segurança social, mas os gestores da empresa por sua vez não  pagam, ao INSS- Instituto Nacional de Segurança  Social.

A crise que abala o Grupo Ducard é atribuída ao seu administrador executivo,  Lourenço  Duarte. De momento, o empresário   vive em ambiente  de desavença  com os funcionários que o acusam de ser mau gestor e de ter afundado a empresa.  Procuram falar com o mesmo  mas revela-se “autocrático”, conforme o descrevem.

Esta semana, os trabalhadores desesperados socorreram-se aos meios de comunicação social para reclamar a conduta do mesmo e cobrar os seus salários. A Radio Eclésia, passou o assunto no seu noticiário de sexta feira (22). A  TV Zimbo, esteve igualmente esta semana no local para recolha de depoimento dos funcionários , porem, a matéria não foi ao ar porque, o  responsável da Ducard, Lourenço  Duarte teria induzido duas trabalhadoras a telefonarem para aquela televisão privada a avisar que era desnecessário passarem a peça jornalística porque já estariam  numa hipoteca  negociação com os responsáveis deste grupo empresarial, o que não corresponde a verdade.

O grupo DUCARD tem dez empresas, a Valleysoft, para a parte de consultoria, desenvolvimento e aplicações informáticas, a Merca Electrónica para a comercialização de hardware; a Air 26, a companhia aérea; a Sixt and Seven está na área da hotelaria, turismo e rent a car; a Canaris está na área da construção civil e imobiliário; a Navimex está concentrada no trading internacional; a DUCARD Energy está no sector petrolífero; Seitel nas telecomunicações; a Merca SHL comercializa tudo o que é material de higiene e limpeza, com parceria da Jhonson. Tem  também a Walltech na área da construção.

Enviar um comentário