quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Zimbabwe. Ministro das Finanças diz que cofres do Estado têm apenas 217 dólares


Pretória (Canalmoz) – O ministro das Finanças do Zimbabwe, Tendai Biti, disse há dias que o Governo zimbabwiano tem apenas 217 dólares nos seus cofres depois de ter pago aos funcionários públicos.
“Na semana passada, quando pagámos aos funcionários, só restaram 217 dólares nos cofres do Governo”, disse o ministro aos jornalistas, ironizando que alguns deles deveriam ser mais ricos que o Estado.
“As finanças do Governo estão paralisadas neste momento. Não atingimos os objectivos”, sublinhou.
O ministro acrescentou que o Zimbabwe não tem outra escolha que não seja apelar para a generosidade dos dadores internacionais para financiar o referendo constitucional e as eleições previstas até ao final do ano.
Um projecto de Constituição foi finalmente aprovado pelo Presidente Robert Mugabe e pelo seu rival e primeiro-ministro, Morgan Tsvangirai, uma coabitação que tem tido altos e baixos, num Governo de união nacional que já dura há quatro anos.
O texto deve agora ser submetido a referendo, antes da organização de eleições, que devem separar os dois homens.
A organização destes escrutínios requer um financiamento de 104 milhões de dólares, segundo a comissão eleitoral.
Minada pela hiperinflação nos anos 2000, a economia zimbabweana está a recuperar lentamente, depois de o dólar local ter sido abandonado em Abril de 2009, sendo substituído pelo dólar dos EUA.
Mas a recuperação é contrariada por factores tanto políticos (sanções contra o regime de Mugabe, política de ‘indigenização’ forçada, que obriga as empresas estrangeiras a ceder a maioria do seu capital), como financeiros (falta de liquidez) e climáticos (seca).
Os investidores escasseiam, os turistas não regressaram e as infraestruturas caem pouco a pouco no estado de ruína, enquanto que as ricas minas de diamante não deram às finanças públicas os dividendos esperados. (Redacção)


Enviar um comentário