sábado, 19 de maio de 2012

IBIS financia acesso à informação em mais 1100 milhões de dólares


Maputo (Canalmoz) - A organização não governamental dinamarquesa, IBIS, comprometeu-se ontem a financiar actividades da sociedade civil moçambicana para o acesso à informação nos próximos dois anos. Ao todo a IBIS irá desembolsar 1.1 milhão de dólares norte-americanos para três organizações diferentes.
As organizações beneficiárias são o Instituto de Estudos Sociais e Económicos (IESE), o Centro de Direitos Humanos na Faculdade de Direito da UEM e o Centro de Estudos de Comunicação (CEC). As duas primeiras organizações irão receber 400 mil dólares cada e a última vai receber 300 mil dólares, totalizando tudo um milhão e cem mil dólares.
Anne Hoff, directora da IBIS Moçambique, foi quem assinou os acordos com os representantes das organizações beneficiárias, nomeadamente o Professor Carlos Nuno Castel-Braco, do IESE, Luís Bitone, do Centro de Direitos Humanos da UEM, e Viriato Castelo Branco, do CEC.

Ericino de Salema, director do Programa de Acesso à Informação na IBIS, disse à Imprensa momentos após a assinatura dos acordos que espera ver destas organizações uma contribuição na promoção de acesso à informação em Moçambique. “Trata-se de um direito constitucional cuja efectivação ainda é um desafio em Moçambique”, lembrou.
Por sua vez, Luís Bitone disse que a sua organização vai contribuir, entretanto, através de ensino, investigação e extensão em matéria de direitos humanos, focalizando o acesso aos direitos humanos através de ensino na Faculdade de Direito da UEM.
Já o representante do Centro de Estudos de Comunicação disse que o financiamento vai ser aplicado em estudos científicos sobre o acesso à informação em Moçambique. (Redacção)

Enviar um comentário