terça-feira, 8 de maio de 2012

Recursos minerais e mega-projectos não combatem a pobreza


– presidente da Associação Industrial de Moçambique, Elias Come

Maputo (Canalmoz) - O presidente da Associação Industrial de Moçambique, Elias Come, defendeu que a pobreza não pode ser combatida com o boom dos recursos minerais, nem com a implantação de mega-projectos que se assiste no país.
Come, que falava sexta-feira passada em conferência de imprensa, no âmbito de lançamento da realização da II Conferência sobre a Competitividade e Industrialização de Moçambique, a decorrer na capital do País, disse que com os recursos que temos, melhor é estudar as melhores formas de organizar e explorar estes recursos.
“Há países com petróleo que até hoje continuam pobres porque não se organizaram melhor”, observou. Lembrou ainda que Moçambique sempre teve a terra, o turismo, o camarão, e o surgimento destes recursos (gás natural, areias pesadas, carvão, petróleo) são mais fontes para exploração, mas não é tudo.
“Neste momento há mais oportunidade de exploração dos recursos, mas é preciso mais tempo. A indústria tradicional já não é competitiva. As matérias-primas que eram usadas, ou não existem, ou não têm valor”, advertiu.
O presidente da Associação Industrial de Moçambique, Elias Come, realçou que até ao momento a agricultura é o sustento dos moçambicanos, e os recursos o que podem fazer é ajudar a atacar os problemas estruturais que o país tem.
“Queremos trazer empresas para juntos criarmos lobbies e um ambiente necessário para permitir que as transformações dos mega-projectos sirvam o país”, ajuntou. (Cláudio Saúte)

Enviar um comentário