terça-feira, 12 de março de 2013

Ainda a morte do dissidente cubano. “A morte do meu pai não foi um acidente”


– afirma a filha de Oswaldo Payá
Maputo (Canalmoz) - Rosa Maria Payá, filha do dissidente cubano, Oswaldo Payá, falecido num acidente de viação em 22 de Julho do ano passado, exigiu que fosse aberta uma investigação internacional para esclarecer a morte do pai. “Dois meses antes do meu pai ter morrido, ele e a minha mãe sofreram um acidente semelhante”, declarou Rosa Payá numa entrevista a um canal televisivo.
Rosa Payá apelou à comunidade internacional para travar a onda repressiva em curso na ilha de Cuba, acrescentando haver a possibilidade das autoridades espanholas investigarem as verdadeiras circunstância da morte do pai.
O dissidente cubano seguia num carro conduzido pelo vice-secretário geral do Partido Popular espanhol, Ángel Carromero, quando agentes do regime cubano,  provocaram o acidente. Em declarações à comunicação social, Carromero disse que os agentes do regime cubano, fazendo-se transportar numa viatura do Estado,  chocaram contra as traseiras da viatura em que seguia Oswaldo Payá e  Harold Cepero Escalante, fazendo com que se despistasse.  (Redacção)
Imagem: Rosa Maria Payá com o pai, Oswaldo Payá, em Bayano, Província de Granma, Cuba

Enviar um comentário