quarta-feira, 20 de março de 2013

Reação ao Chinguilamento desastroso do Bureau político do Mpla/Jes


Em defesa do seu patrão, o serviçal bureau político do MPLA, braço armado de JES insurgiu-se contra o maior partido da oposição. Até aí tudo bem, nós estamos habituados a ver e a ouvir esse tipo de gritaria por parte do deselegante bureau político do partido dirigido "por" tão garboso patrão, o presidente JES.
EXORTAÇÃO AS OPOSIÇÕES
O estranho mesmo foi verificarmos o triste silêncio sepulcral em torno das oposições, que se mantiveram silenciadas com temor de que também sobresse para elas, face às ameaças estonteantes levadas a cabo pelos contratados de JES no interior do partido dos camaradas contra toda ilustre e corajosa militância da UNITA.
A saliente menção de nos considerarem todos cobardes, não pode passar despercebido pela natureza do que esta em jogo. Nesse momento tão crucial da vida do nosso povo e da vida da nossa terra bendita não podemos continuar distorcidamente separados uns dos outros. Se tivermos todos os mesmos objetivos então porque não permanecemos juntos nessa luta desproporcional, onde mesmo somados, todos juntos ainda somos poucos! Apesar de apelar pela unidade das oposições, sei que mesmo juntos jamais nos misturaremos, sendo assim meus companheiros, maninhos, camaradas, irmãos meus senhores e minhas amadas senhoras bola pra frente...
Não acredito que estejamos a fraquejar todos numa altura em que os olhos do mundo civilizado estão postos em nós, não existe mais espaço para nos tornarmos numa insignificante pseudoposição sem ambições onde o mérito de permanecermos unidos continue nas mãos de quem nos oprime.
MPLA CADA VEZ MAIS PERDIDO E ARROGANTEMENTE SÓ
Hoje ficou claro e mais que provado, que o MPLA esta de cabeça para baixo, sem uma estratégia definida para sobreviver por muito mais tempo a torrencial corrente de indignação que transpira em quase toda sociedade pensante angolana. A faísca do medo tomou conta das hostes MPELISTAS, O temor (MEDO) ficou patente na atitude descontroladamente tomada esta semana pelo partido da situação em face da reação notabilizada que o seu bureau politico ao tentar a todo custo controlar e dissolver a vontade politica do povo. O MPLA na voz do seu bureau politico desrespeitou todo país ao ameaçar com a lei do tabelião um partido que representa a luz da lei uma enorme franja da sociedade angolana, e que, por sinal, cumpriu todos os pressupostos legalmente estabelecidos pela lei e pela atípica constituição JESSEANA quando apresentou queixa criminalizando com validade queixa contra o cidadão angolano José.
Agora todos sabem como o MPLA reage em tempos de crise, agora sabemos igualmente que a casa de segurança militar e o MPLA são intolerantes, não aceitam criticas de ninguém, sobretudo quando as baterias oposicionistas se direcionam contra a intocável cabeça do seu mais ilustre militante o corrupto e assassino José Eduardo Dos Santos e do seu clã familiar e amigos sinistros como o Nelito Kopelipa e o (Al Capone) Pierre Falcone como exemplo.
O MPLA já não esta interessado em fazer politica, nos últimos tempos tem-se notabilizado com vozeirões expelidos raivosamente ameaçando os seus adversários detratando-os como bandidos, transformando-os arrogantemente em inimigos como aconteceu com o destemido jornalista, politico e advogado William Tonet e com o advogado e politico David Mendes dentre outros. Juntos a casa de segurança, o MPLA e JES para além de quererem criar um absoluto estado silenciado, eles pretendem também controlar o ímpeto confrontador das oposições causando-lhes medo.
A MESMICE DE SEMPRE, AS AMEAÇAS FRUSTRANTES DO BUREAU POLITICO DO MPLA/JES.
O bureau politico não passa de boca de aluguer ao serviço da casa de segurança militar de JES que lhes imputou a responsabilidade de sair em defesa do seu líder. Eles querem tentar passar a mensagem incrível de que somos todos gatunos menos o os seus patrões JES e a sua filha gatuna mor a Russa Isabel kukanova dos Santos Dokolo e seus irmãos e irmãs e não só.
Assistimos nestes dias uma tremenda gritaria vinda das hostes do MPLA ameaçando a UNITA e ao mesmo tempo afirma acreditar na justiça angolana, poderá né camaradas; a justiça pertence exclusivamente ao nosso ditador e recebe por sua vez ordens exclusivas da casa de segurança militar do ditador!
O estranho mesmo foi ver o todo poderoso MPLA a estrebuchar, e a disparar veneno a torto e a direito numa vergonhosa aventura desproporcional, lançando aleivosamente quantidades assustadoras de baixarias ameaçadoras tentando buscar apoios e consensos junto da sociedade angolana, que o ajudassem a incriminar a UNITA por ter ousado desafiar a sua autoridade e pior que tudo, por ter tido a coragem e o atrevimento de censurar e apresentar queixa contra o intocável presidente vitalício do MPLA e do país do pai banana, o cidadão JES.
Todos em Angola sabem que essa situação hoje vivenciada, marca o inicio do fim do reinado de José Eduardo Dos Santos e de seus sequazes como donos de Angola e de senhores absolutos da vontade de todo povo angolano, e, eles sabem-no bem disso. Também fica claro que ninguém mais teme as ameaças de JES e do seu corpo de propaganda ameaçador.
Também não se entende a razão De todo chinfrim manifestado pelo dogmático bureau politico do partido de JES, uma vez que a queixa fora apresentada contra o cidadão José Eduardo Dos Santos e seus sequazes enquanto cidadãos angolanos, ninguém se queixou do presidente do MPLA. Ora se os denunciados são angolanos, então esses senhores não estão livres do crivo da justiça como qualquer outro cidadão angolano.
Assistimos nos dias de hoje a tentativa de José Eduardo dos Santos e do MPLA tentarem branquear a verdade democrática até aqui alcançada. Ele tenta a todo custo privatizar o estado angolano.
Mas, afirmo aqui e agora, que a soberania da democracia não passa unicamente pelo MPLA nem pela pessoa do presidente José. A muito que JES deixará de ser o garante da solução para o país, ele transformou-se do dia para noite no problema angolano. Sendo assim, como pode JES reivindicar para si a exclusividade do ônus da democratização do país?
Primeiro é que Eduardo Dos Santos nunca deveria jamais encapotar-se e esconder-se cobardemente por traz do glorioso MPLA para se defender dos seus muitos malabarismos desonestamente praticados contra o povo angolano, e conta à nação que tarda em nascer por sua única e exclusiva culpa!
Segundo, JES tem aos seus serviços imensos porte paroles na presidência da republica para o defenderem pessoalmente, esses propagandistas ao serviço pessoal de JES são remunerados bastante bem, são pagos excelentemente a peso de ouro com o nosso dinheiro, e são elevadamente competentíssimos, ultrapassando de longe competentemente o porte parole que JES possui no interior do MPLA para defendê-lo. Se ao utilizar uma vez mais o MPLA, JES tivesse a intenção simples de defender-se até aí todos entenderíamos. Mas, a verdadeira intenção do bureau politico do MPLA foi a de ameaçar a UNITA dando-lhe a conhecer, que, o país é seu e ela (a UNITA), esta sob sua custódia assim como toda a oposição e todos quantos se opuserem as suas desatentadas ambições do poder pelo poder.
O MPLA sequer se preocupa em tirar ilações ilustrativas e responsabilizar-se de tudo que fez de errado nestes 33 anos, e daí discernirem para depois ordeiramente obstruir do seu interior o sonho de partido único que ainda prevalece nos intestinos contorcidos dos MPLISTAS fanáticos, que de tão notívagos, não se apercebem que esse sonho de regime de partido único, quase pertence já, a um longínquo e moribundo passado irreversível.
JES pode não acreditar, mas, hoje mais do que nunca, o seu pé esta mais fora do que dentro do poder que ele pensa ainda controlar. Coisas da velhaca idade!
Acreditem senhores forasteiras e debicadores da nossa inerte riqueza; em Angola ninguém mais tem medo do lobo mau chamado José nem de seus confrades Kopelipa, Dino e José Maria nem dos generais reunidos em torno deles. Decididamente preferiremos morrer de pé lutando, a permanecer deitada à espera das balas cobardes que contra nós possam vir a ser disparadas por nos tornarmos na outra parte do povo indesejável, que jamais aceitara ser carne de carneiro para abate. Pois entre morrer a fome e morrer lutando a segunda apótese apresenta-se mais confortável e alimenta muito mais a nossa esperança de um dia nos vermos livres da arrogância de um homem, que, na verdade, se comporta como se de um estranho presidente se tratasse.
Não se pode defender o indefensável meus camaradas do bureau politico do partido MPLA. A história de José Eduardo Dos Santos e de suas filhas e filhos os condenam retumbantemente. Não fomos nós povo que combinados obrigamos JES a roubar-nos a todos, nem fomos nós o povo que fizemos a escolha por JES, para que ele hoje se revelasse no vil ditador malandro que se tornou. Como pode um moderno partido que se afirma herdeiro dos valores mais elevados da moral nacionalista se envolver numa contenda da qual não foi nem chamado? O pepino era e é somente de JES e da sua prole e de ninguém mais camaradas!
Quantos angolanos não foram injustamente acusados fora e dentro do país e que se sujeitaram a lei de países estrangeiros a pedido do próprio MPLA/JES e do seu governo? E ainda assim aceitaram submeter-se a lei discriminatória apesar de reconhecidamente ser injusto! Porque não deixam Eduardo dos Santos enfrentar essa barra como cidadão angolano que acredito que seja?
Todos estão cientes, que em Angola não existe nenhum outro cidadão que deva merecer as maiores e mais arriscadas criticas do que o titular do cargo mais elevado da superestrutura do estado e que por inerência do seu cargo, JES pode até mesmo enfrentar inúmeras acusações que o levem a barra dos tribunais! JES tornou-se no único impasse para que os angolanos e o país encontrem outros caminhos e outras saídas para o desenvolvimento politico, social, econômico e financeiro do país. Já gritei e falei vastas vezes que JES é o grande tormento do próprio MPLA, do País e dos angolanos.
Há muito tempo que o MPLA deveria ter-se desembaraçado dessa carraça que se agarrou com todas as suas forças os destinos de um partido histórico que todos os dias se definha mais e mais em frustrantes melancolias desastrosas que podem e faze-lo desaparecer por completo. A muito JES deveria ter partido e os angolanos hoje estariam a viver uma nova vida independentemente da vida que JES quisesse dar para si e para a sua prole.
Por isso, necessário se faz lembrar a essa família deselegante astuta e ambiciosa, que angola não foi dada como herança ao deslumbrante JES nem é um quintal do pai dele nem os avós deixaram angola para seus netos filhos de JES, e muito menos os angolanos observam a pretensão de se tornarem perpetuamente escravos ao serviço do pai banana nem da sua filharada.
PRELUDIO
Pra terminar, é preciso e necessário que o país politico fora do circulo do MPLA, não prestar grande relevo aos missionários ministradores da mentira religiosa que saem à rua a conclamar publicamente palavras aleivosas contra tudo que seja dito ou que não vá de encontro à vontade do predestinado ditador presidente vitalício José Eduardo Dos Santos, como o fez expressamente o banal e meticuloso falso profeta bispo Camuenho; que na da mais não fez do que pagar alguns favores que JES pessoalmente lhe fizera em um passado recente. Brevemente tudo isso e mais algumas coisas intrigantes virão a publico em livro, aberto a todos os angolanos interessados.
Raul Diniz
ANGOLA24HORAS
Enviar um comentário