quinta-feira, 14 de março de 2013

Em 38 anos de independência só tivemos dois presidentes


Tal como recebi. Também não era preciso acrescentar mais nada ao cartoon...
PS- Esta piada é para quem ainda não acreditava que Angola é um exemplo mundial de grande estabilidade política e emocional.

REGINALDO SILVA

Em 38 anos de independência só tivemos dois presidentes, porque o primeiro morreu aos 56 anos de idade, claramente antes do tempo, porque senão só tínhamos tido UMZINHO, que seria o mesmo que proclamou a independência e que depois virou "Guia Imortal", a tal ponto foi "imortalizado" que os seus seguidores foram os primeiros a esquecerem-se dele.
Só tivemos uma espécie de "meio golpe de estado" que nunca ficou provado, porque os "golpistas" foram todos fuzilados antes de serem julgados, como manda a Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Só tivemos um líder da oposição (armada) que realmente assustava o poder, mas que nunca conseguiu provar que era melhor que aqueles que combateu, porque acabou sendo morto por eles.
Só tivemos um recolher obrigatório que durou mais de 14 anos.
Só tivemos um partido único que depois virou partido dominante e agora só aceita ganhar as eleições com mais de 2/3, sendo também o único a quem o Tribunal Constitucional autorizou ter na sua bandeira as mesmas cores da bandeira da República.
Só temos um produto que sustenta o país inteiro, com todas as assimetrias na divisão do bolo que se conhecem, o que corresponde apenas a um tipo de economia, que depois de no passado recente ter sido estatal e centralizada, passou a ser governamentalizada e regulamentada/burocratizada/policiada/ de acordo com as conveniências políticas do momento, por isso também só temos uma burguesia que cresce e uma bilionária que vive em estado de negação.
Só temos um jornal diário, uma rádio nacional e uma tpa, que só nos últimos anos começou a dividir o espaço com a Zimbo, que depois se veio a revelar ser mais "pública" que a outra.
E para terminar este festival de estabilidade/unicidade, só temos um só povo e uma só nação, quer queiramos, quer não.
Enviar um comentário