segunda-feira, 4 de março de 2013

Relatório sobre relação entre corrupção e violação de direitos humanos incluirá Angola




O testemunho do activista angolano Rafael Marques fará parte de um relatório a apresentar ao Parlamento Europeu sobre a ligação entre corrupção e direitos humanos em países terceiros, que está a ser elaborado pela eurodeputada Ana Gomes e que deverá ser apresentado até ao verão.
Em declarações à agência Lusa, a Eurodeputada Ana Gomes explicou que foi incumbida pela subcomissão de direitos humanos do parlamento europeu para avaliar as situações de violações de direitos humanos directamente relacionadas com casos de corrupção num relatório que será distribuído aos eurodeputados durante os próximos meses.
Na quinta-feira, naquela que foi a primeira audição no âmbito deste relatório, o jornalista angolano foi ouvido na subcomissão de direitos humanos no Parlamento Europeu a par da perita Julia Pettengill, perita britânica sobre a Rússia, e de Gareth Sweeney, da Transparência Internacional.
“A corrupção não deve ser vista de forma isolada, mas também tendo em conta a forma como afecta os direitos humanos” nos países terceiros com quem a União Europeia se relaciona, salientou Ana Gomes, que espera ter concluído um primeiro esboço do relatório até março para que seja depois discutido ainda antes do verão.
“O Parlamento Europeu deve analisar a situação dos outros países à luz das violações dos direitos humanos” e por isso o objectivo destas audições é “recolher contribuições e elementos” de fontes próximas dos países em causa.
Angola foi um dos casos escolhidos porque “não é um país que aparece muito no radar [da violação] dos direitos humanos” mas que é “bem conhecido pelos elevados índices de corrupção”, salientou Ana Gomes.
E o jornalista e activista Rafael Marques “tem demonstrado que há uma verdadeira ligação entre a violação de direitos humanos e a corrupção”, acrescentou a eurodeputada, que defende uma política externa da UE que tenha em conta esta realidade.
“As violações de direitos humanos ocorrem em países com elevados níveis de corrupção” e esse é um assunto “que tem de estar em cima da mesa” de discussão dos eurodeputados e das autoridades comunitárias.
Rafael Marques tem insistido na denúncia daquilo que considera serem casos de corrupção em Angola, mas também tem criticado as opções políticas da União Europeia de apoio ao regime angolano.
Para Ana Gomes, o relatório visa sensibilizar também os eurodeputados, com “casos concretos” para a importância da relação entre a corrupção e a violação dos direitos humanos.
ANGOLA24HORAS.COM
Enviar um comentário