Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

domingo, 27 de outubro de 2013

As principais chamadas de capa dos jornais publicados em Luanda de 25 e 26 de Outubro


Luanda - Revista de imprensa: As principais chamadas de capa dos jornais publicados em Luanda de 25 e 26 de Outubro

Fonte: Club-k.net

O NOVO JORNAL destaca “Conselho de Segurança da ONU: Armas Químicas intoxicam eleição”.
A matéria está relacionada com o facto de Angola não ter sido eleita como membro não permanente do conselho de Segurança desta organização por não ter ratificado a convenção de armas químicas, no entender de dois partidos da oposição.
O primeiro caderno traz como título “Constitucional: Governo mais longe do Parlamento”.
No caderno de economia o destaque recai para a Pumangol com o título “Chega aos 90 postos em 2015”.
Já o caderno Mutanba tem como principal rosto “Jerónimo Belo: A paixão pelo Jazz”.
Outros títulos:
“Carlos Guimarães: Processo contra a FAB a decorrer”
“Angola-Portugal: Lisboa esquece portugueses”
“Transportes Públicos: Sufoco de quem não tem opções”.
“Portugal pressiona tribunais em Angola”, destaca O PAÍS na presente edição, com base numa entrevista concedida pelo advogado Sérgio Raimundo.
“Um dos mais proeminentes criminalistas do país, o advogado que defende Quim Ribeiro e pares diz peremptoriamente que há casos de interferência da Embaixada de Portugal nos Tribunais angolanos”, descreve o jornal.
A matéria é ilustrada com o rosto do mesmo. No que concerne a saúde, o jornal diz: “Raiva já matou cerca de 200 pessoas em dois anos”.
“Os municípios de Cacuaco, Viana e o distrito do Kilamba Kiaxi apresentam o maior número de mordeduras e casos de morte por raiva na capital do país”.
Outros títulos:
“Angola: Asiáticos comandam tráfico humano no país”.
“Fiscalização: Ministros ‘blindados’ pelo Tribunal Constitucional”.
“Girabola: Asa na corda-bamba”
O AGORA traz a imagem de quatro militares armados, um dos quais a carregar uma AKM, com o seguinte título: “Moçambique: O regresso à guerra. CPLP não reage”.
O jornal destaca também a entrevista com o comandante da Unidade de Trânsito de Luanda, António Pinduka, com o seguinte título: “Acidentes Rodoviários matam mais que malária”.
Outros títulos:
“Viúva de ex-Governador clama por apoio”
“Bento Kangamba reaparece: ‘Samakuva não é patriota’”
“Proliferação de empresas chinesas já é preocupante”.
O SEMANÁRIO ANGOLENSE traz como destaque: “Luanda também já ‘africanizada’ até ao tutano: Temos matonguê!”.
“A capital Angolana, que até há uns anos era tida como uma das cidades africanas mais europeizadas (passe algum complexo), está também tão desorganizada como quase todas as suas congéneres do continente, por conta da ‘invasão’ de hábitos, costumes e quinquilharias que lhe eram estranhos (...)”.
Outros títulos:
“Diamantes: o mistério de Catoca”
“Desencadeada ‘operação Garina’”
O JORNAL A CAPITAL traz esta semana uma capa com fundo preto e vermelho com o seguinte título em amarelo: “O MPLA ainda é o mesmo?”.
“Qual é a cor desse vermelho? O discurso de JES sobre a acumulação de capital e o desabafo de Maria Mambo Café relançaram a discussão sobre o maior partido angolano e a orientação politica que seguem os camaradas”, descreve o jornal.
Outros títulos:
“Não estão a pagar os créditos: de cada 100 pessoas que recebem empréstimos, apenas 17 resolvem pagar”.
“O Café amargo da Maria: Nacionalista desabafa e diz que para alguns dirigentes o dinheiro vale mais do que o povo”.
Em actualização.
A Revista de Imprensa resulta de uma parceria entre o Club-K e a empresa Monacessa Distribuidora. Os moradores de Talatona, Lar do Patriota, Kilamba, Camama e arredores interessadas em receberem jornais e revistas em casa, ao preço de capa, liguem para o 948 077 533 ou enviem um e-mail para monacessadistribuidora@gmail.com.

Enviar um comentário