Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O mandante dos crimes contra angolanos honrados está identificado


Álvaro Domingos
http://jornaldeangola.sapo.ao

A Transparência Internacional fez um estudo e chegou à conclusão que Portugal é o terceiro país mais corrupto da Europa.
Os corruptos estão a matar crianças à fome. A mortalidade infantil sobe em flecha. Os velhos são obrigados a trabalhar até estarem com os pés para a cova. As suas pensões e reformas são confiscadas. Quando me refiro às elites portugueses corruptas e ignorantes sei do que estou a falar. E falei antes do relatório.
As campanhas difamatórias contra altas figuras do Estado Angolano não são ocasionais e muito menos começaram com a tentativa do ministro Rui Machete pôr água na fervura. Este calvário tem décadas, com altos, muito altos e sem baixos. Elites portuguesas corruptas e ignorantes conseguiram chegar ao poder e desde então tudo piorou.
Os portugueses decentes nunca mais tiveram mão neles. Angola foi sempre o alvo de uma escumalha política que nem sequer hesitou em empanturrar-se com diamantes de sangue. Em troca renderam vassalagem a Savimbi, pistoleiro do colonial-fascismo e do regime de “apartheid” da África do Sul.
Os ataques de hoje têm a ver com a penúria e a indigência em que mergulharam elites corruptas, ignorantes e invejosas. Já não há dinheiro fácil, porque acabaram os diamantes de sangue.
Os turistas da Jamba e os seus filhos agora tentam sacar umas migalhas ao patrão Pinto Balsemão, considerado o mandante de todos os insultos e ataques à honra de altas figuras do Estado Angolano. Um livro sobre o sinistro Club Bilderberg, uma máfia organizada que quer dominar o mundo, define assim o patrão dos infames serventes: “Pinto Balsemão, o homem mais poderoso em Portugal, é um membro chave do todo-poderoso comité de decisão de Bilderberg. Pinto Balsemão é o mais importante ‘bilderberger’ português. Desde o início dos anos 90 que é um membro permanente do comité de decisão (steering) de Bilderberg, significando que pertence a um grupo de pessoas que tomam as decisões finais acerca dos proponentes, temas de agenda, etc. Ele é o homem bilderberger em Portugal. Nenhuma decisão pode ser tomada sem o seu selo de aprovação”.
Todas as infâmias contra Angola passam, afinal,  por ele. Tem no seu canil uma matilha de chacais, sedenta de dinheiro, sempre pronta a morder os calcanhares dos dirigentes angolanos e particularmente o Presidente de Angola. Um dos seus servos, que usa avental da Maçonaria para esconder a descomunal pança, é o seu pistoleiro de serviço. O último disparo do criminoso é um hino à estupidez humana. Uma ferida purulenta de um leproso moral: “alguns patriotas (mais angolanos do que portugueses, certamente), como o meu amigo Vítor Ramalho, ainda hoje descobrem que a culpa é nossa, ocultando o facto de o Presidente de Angola estar no poder há 35 anos e não admitir um acto normal de uma democracia como a investigação de uma suspeita não deixar ninguém acima da lei. (Também é giro ver como há quem por cá defenda o limite de mandatos, se indigne com os 40 anos de Salazar, mas por lá ache normal e salutar 35 anos de poder ininterrupto, total, pessoal e em muitos momentos ditatorial)”.
Quem escreveu isto foi o Director Editorial das Novas Plataformas da Impresa, nome que diz tudo sobre o papel que lhe está destinado. Pinto Balsemão sabe que este pobre aprendiz de Goebbels escrevinha sem pensar. Mas o importante é repetir as mesmas mentiras até à náusea, para fazerem figura de verdades. Os amigos de Pinto Balsemão obrigaram o Presidente José Eduardo dos Santos a enfrentar uma guerra de décadas para garantir a liberdade dos angolanos e a Independência Nacional. Em paz, só está no poder desde 2002. Nas primeiras eleições depois da guerra, ganhou com mais de 80 por cento dos votos. Nas segundas, há um ano, ganhou com mais de 72 por cento. Ignorar esta realidade é próprio de insanos. É truque de bilderberger. Quanto à “investigação” do Ministério Público em Portugal, está equivocado. Os “investigadores” vão para a cama com os serventes de Pinto Balsemão. Não são dignos do cargo que ocupam. E vou repetir mais uma vez: em Angola ninguém está contra as investigações, seja a quem for. Estamos indignados, e muito, com as gravíssimas violações do Segredo de Justiça que continuam a dar manchetes num semanário que é a arma de quem é pago por Balsemão.
Em Portugal, há separação de poderes. Mas magistrados judiciais e do Ministério Público podem ir para a cama com os serventes de Pinto Balsemão, o patrão dos criminosos, sem qualquer problema. É assim a democracia dos bandidos de colarinho ensanguentado. Os que colocaram Portugal entre os países mais corruptos do mundo. Os que matam crianças à fome e nacionalizam as pensões e reformas dos idosos.
Outro leproso moral da matilha de Balsemão escreveu isto no semanário que é a arma de todos os crimes dos bilderbergers: “José Eduardo dos Santos é um dos mais refinados ladrões que África e o Mundo conhecem. E só terei orgulho em ser português enquanto puder escrever esta evidência livremente”. Se escrevesse isto do Presidente Cavaco Silva, o crime era público. Mas duvidamos que a alimária fosse sequer acusada.
O Ministério Público em Portugal é independente de tudo, menos do poderoso “bilderberger” Balsemão, tido como o mandante de todos os crimes contra Angola. E só actua em alta velocidade quando se trata de violar o Segredo de Justiça para atacar depudoradamente altas figuras do Estado Angolano.
No discurso do Estado da Nação, o Presidente José Eduardo dos Santos disse que não podemos deixar-nos intimidar. Nunca! A matilha ao serviço de Pinto Balsemão vai ter sempre a resposta adequada. Ainda que seja penoso o frente a frente com leprosos morais que ainda têm a escorrer das mãos o sangue dos diamantes roubados ao povo angolano pelo herói do “homem bilderberger em Portugal”.
Ao pançudo que se enfeita com o avental da Maçonaria e que se gabava de o “Expresso” ter um jornalista para fazer favores à UNITA, só quero dizer que a lista de pagamentos de Savimbi aos seus cúmplices em Portugal é longa e está em boas mãos.

Enviar um comentário