sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Estou a pensar na crítica situação que vivem os irmãos moçambicanos.


Acabo de receber do amigo Namburete, deputado moçambicano, esse testemunho, depois do porta-voz do partido Renamo ter descrito o assalto a residência do Presidente da Renamo em Satungira, distrito de Gorongoza, província central de Sofala. "Neste momento ele (Afonso Dhlakama) esta em local incerto, o que coloca a possibilidade do retorno ao dialogo mais distante. O pais vive os piores momentos da sua história recente, desde a assinatura dos Acordos de Roma em 1992. O centro das diferenças esta a exigência da Renamo de que o órgão de Gestão do Processo Eleitoral devia ser composto observando o principio da paridade, nos seguintes moldes: Frelimo 50% e os partidos da oposição no Parlamento 50%, a ser dirigido por um presidente escolhido no seio da sociedade civil. A Frelimo recusa esta proposta que e amplamente apoiada pelas organizações da sociedade civil. A Frelimo quer usar a sua maioria parlamentar para ter vantagens sobre os próximos processos eleitorais. Esta e a razão de todos os problemas que chegaram a uma situação real de um conflito armado. Esperamos que o bom senso prevaleça e se restabeleça a paz, que já durava há 21 anos". Temores por fraude eleitoral, sempre o busilis da questão..
In Francisco Lopes. Facebook

Enviar um comentário