terça-feira, 29 de outubro de 2013

Luanda. Chineses escravizam adolescentes na escola 3015 do Cazenga





 

Luanda – Os técnicos chineses encarregados de requalificar a escola 3015, Kima Kieza, situada no município do Cazenga, são acusados de terem agredido brutalmente três adolescentes angolanos com quem trabalham, alegando não corresponderem às suas exigências laborais.

Fonte: Club-k.net

Há escassos dias, um dos chineses (chefe de equipa) voltou a agredir um dos adolescentes de nome António, usando martelo e pá.

Cansado de maltrato os outros colegas angolanos decidiram procurar ajuda, mas sem sucesso porque não dominam a língua portuguesa, uma vez que estão em Luanda há pouco tempo, recrutados do interior da província da Huíla, relata uma professora daquela instituição de ensino.

Os adolescentes contam que, como ilustram as imagens, dormem na obra em péssimas condições, por cima de madeira sem qualquer meio para cobrir-se, e fazem refeições uma vez por dia, sendo que o salário é de 600 kwanzas/mês.


Enviar um comentário