quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A UGP foi criada para matar o povo desarmado ? - Raúl Diniz


Luanda - Quero em primeiro lugar apresentar os meus pêsames a família do falecido jovem Manuel Mendes “Ganga” para os mais íntimos. Depois estendo o s pêsames a agremiação politica a CASA-CE através dos meus amigos pessoais Abel Chivukuvuku, Miau e William Tonet.

Fonte: Club-k.net

Não quero ser pretencioso, mas sinceramente não consigo entender a verdadeira razão que leva o regime a colocar o exército privado presidencial, criado para dar suporte exclusivo a segurança do presidente da republica, e obriga-lo fazer o trabalho especifico da única instituição do estado criado para manter segurança e a ordem em todo país!
Será que a Policia nacional angolana é incompetente para manter seguro o país de incautos gatunos e/ou bandidos a solta no país de Eduardo dos Santos? Por que razão em todos os assassinatos políticos ocorridos em Angola está sempre o envolvido elementos diretamente ligados a CASA DE SEGURANÇA MILITAR da presidência da republica?
Os assassinatos de Cassule e Kamulingue ficou provado a participação de elementos da UGP que os raptaram e posteriormente assassinados pelo SINSE igualmente setorizados na casa de segurança militar da presidência da republica!

o recente assassinato por fuzilamento do politico Manuel Mendes “GANGA” dirigente da CASA-CE de Abel Chivukuvuku, ocorrido dia 23 de Novembro de 2013 está igualmente envolvido diretamente elementos da UGP! Porquê tudo isso camaradas? Até onde querem levar o país com esses horripilantes assassinatos camaradas?
O MEDO E O PAVÔR TOMOU CONTA DO REGIME POR COMPLETO!
Duas razões fundamentais ocorreram e podem estar ligadas os estresse coletivo sofrido pelo regime ao ponto de leva-lo a movimentar descontroladamente toda a estrutura bélica do país militarizado com destaque para os tanques de guerra e a aviação colocados nas ruas, e tudo isso por causa da realização de uma simples passeata movida pela indignação do povo que deseja mais cidadania e o fim dos assassinatos políticos! AS RAZÔES: Primeiro: Ficou claro a todos quantos estiveram nas ruas de Luanda que o regime está fragilizado e sem saída para convencer o país das razões que o levaram a infringir castigos sucessivos a maioria do povo angolano ao ponto de trazer uma vez mais a morte entre os nossos pobres filhos enquanto os filhos da ditadura continuam imunes ao morticínio praticado pelos seus pais, ainda bem que assim acontece, pois nós os excluídos por razão nenhuma desejamos morte de angolano nenhum!
O regime inseguro e frágil de Dos Santos sequer se acautelou em esconder a sua fragilidade extrema demonstrada pela total incapacidade de gerenciar com o dialogo aquilo que ele considerou unilateralmente de conflito militar, onde o único braço armado era o próprio regime! Essa foi de facto a razão fundamental que levou os arautos defensores do regime a reagirem violentamente movidos pelo medo incontrolado dos seus mentores.

Essa situação acontece sempre que o regime presuma que esteja em risco o seu peculiar autoritarismo. Outra razão salta logo a vista de todos porque estava igualmente em risco o desmoronamento da apregoada tese de o MPLA ser maior partido politico em Angola caso a reunião entre os povo que compõem a naturalidade das nossas muitas nações hoje desunidas marcada para o dia 23 de Novembro decorresse pacificamente,. A acontecer essa manifestação como havíamos previsto fosse pacifica, o MPLA/JES perderia toda credibilidade que o falsamente o tem legitimado a reivindicar o alegórico credito de ser maior partido politico angolano! Por sinale essa situação permeia as ações criminosas cometidas a todos os níveis pelos patronos do regime e particularmente pelo ditador e família do chefe pomposo do regime, também essa situação permite que aconteçam permissivos privilegiados a esses criminosos de colarinho branco nacionais e internacionais, que por sua vez claudicam sistematicamente perante a lei por não saberem conviverem com a legalidade judiciaria e assim sendo, recorrem aos maléficos desígnios da impunidade legitimidade pelo sistema oficioso sustentado pelo regime privativo de Eduardo dos Santos.
O MEDO TERMINOU VENCIDO PELA OUSADIA DA UNITA DESAFIAR A ARROGANCIA DA DITADURA! OBRIGADO “UNITA”, MUITO OBRIGADO “SAMAKUVA” FILHO DA NOSSA ANGOLA PROFUNDA.
Segundo: percebe-se que o regime esta completamente a deriva, isso ficou patente no pavor e no medo demostrado a todos, por o país se reunir em torno de um partido a UNITA, que até o dia 22 de Novembro de 2013 vivia asfixiado com receio de se expor abertamente num processo de luta contra uma ditadura disfarçada de democracia. O partido tratado até então como criminoso, que ajudava inadvertidamente o fascista mentiroso Eduardo dos Santos a manter de soslaio o refogo de promotor da união nacional, qual príncipe da paz; quebrou com o medo herdado do passado! O regime apontava o dedo acusador a UNITA alegando enganosamente ser ela a única responsável dos sucessivos conflitos acontecido na nossa terra entre irmãos desavindos, debalde. Participei diretamente em todo conflito militar e politico ocorridos no país como um dos muitos bons chefes militares das FAPLA, e posso afirmar em abono da verdade que a culpa da situação que prevaleceu no passado envolve diretamente as duas partes em conflito. Não a diferenciação de um divisor de aguas que negue a flagrante e inegável responsabilidade idêntica para os dois lados do antigo conflito, que Eduardo dos Santos se nega por medo a colocar um fim a esta questão porque não deseja nem pode nesse momento perigoso perder o ardor do falso protagonismo que inflama entusiasticamente o egocentrismo amalucado e deprimente do nosso inestimado ditador.

“O DETALHE MENTIROSO”- QUAL É A DIFICULDADE AFINAL QUE EXISTIU PARA MOBILIZAR PELO MENOS DEZ MIL DOS CINCO MILHÕES DE MILITANTES PROPALADOS GARBOSAMENTE PELA DIREÇÃO CENTRAL DO MPLA/JES NO DIA 23 DE NOVEMBRO DE 2013?
A desilusão ficou patente a todos os presentes na reduzidíssima participação de militantes na manifestação convocada pelo glorioso no dia 23 de Novembro de 2013, pelo menos ficou bem claro as dificuldades que o partido da situação encontrou para mobilizar algumas dezenas membros dispostos a encher o espaço que ficou vazio na aludida manifestação. Ficamos todos apalermados e sem saber onde paravam o exorbitante numero criado ilusoriamente e, que somam cinco milhões de militantes que o quebrado MPLA/JES diz ter como militantes?
Agora pergunto, qual foi a verdadeira razão que essa manifestação despropositada ficou a quem das expectativas? Os únicos militantes que apareceram filiados na MPLA/JES e na JMPLA, que apareceram em grande número foram de facto os efetivos da “UGP” Unidade de Guarda Presidencial, a “PN” Policia Nacional do MPLA/JES e das “FAA” Forças Armadas Angolanas, sabemos que o numero de militantes aventado pela direção mentirosa do partido é fictício, na verdade é mesmo fantasioso, e idiota falar em cinco milhões de membros!
Em suma o MPLA sabe que está sozinho nessa pendenga que arranjou com todo país, pois o que aconteceu dia 23 de Novembro fez sobressair toda sua fragilidade e cobardia perturbadora, e todo país sem exceção tomou conhecimento e ficou anotado nos cânones da ditatura que o seu fim vai se consumar a breve trecho.
A UGP FOI CRIADA PARA MATAR O POVO DESARMADO? PORQUE ELA FAZ SEGURANÇA EM TODO PAÍS? Afinal se não houve necessidade do exercito privado de Eduardo dos Santos usar a força como afirmou o porta voz da policia, o lambe botas e capanga especial de Eduardo dos Santos, porque houve então a proibição da manifestação programada pela UNITA? E já agora porque foram expedidos os tantos comunicado inflamado e feitas tantas ameaças musculadas na vã tentativa de anular a manifestação pacifica da UNITA?
Por outro lado o que leva uma guarda presidencial sair à rua para reprimir o povo que ordeiramente se manifestava pacificamente em todo país? A presidência da republica é uma instituição das muitas que existem no estado angolano. A pergunta é seguinte; porque essa guarda presidencial possui um exercito de vinte e cinco mil homens? Nós nem estamos sequer em conflito militar contra ninguém nem dentro nem fora do país, porque toda essa tropa?
Por outro lado interrogo-me pela natureza, da razão e dos motivos dessa engrenagem de formar um exercito tão numeroso em termos de contingente de militares somente para fazer a segurança pessoal do presidente da republica? E também porque a UGP é chamada para fazer segurança em todo país, quando sabemos que esse exército privado não foi sequer sufragado pelo voto popular e muito menos criado constitucionalmente para o efeito?
NA MANIFESTAÇÃO CONVOCADA PELA UNITA, O MPLA IGUALMENTE CONVOCOU AS PRESSAS OUTRA MANIFESTAÇÃO, A PERGUNTA É A SEGUINTE: DOS 17 FILHOS LIGITIMOS DE EDUARDO DOS SANTOS, QUANTOS ESTIVERAM NESSA MANIFESTAÇÃO EM APOIO AO IMORTAL SEU PAI E A EM APOIO A DECADENTE JUVENTUDE ENVELHECIDA DO MPLA/JES?

Estranho mesmo é sabermos pela comunicação social do estado, que os adeptos de José Eduardo dos santos e do MPLA convocaram e realizaram uma manifestação no mesmo dia da que a UNITA convocou a sua! E a pergunta que não quer calar é seguinte: Quantos elementos da juventude decadente e envelhecida JMPLA foram perseguidos com tiroteio e gás lacrimogênio a mistura? Por outro lado, quantos membros dessa infame juventude foram presos, alvejados ou mortos nesse dia pelo exercito privado do MPLA, a UGP? Como militante e membro do “M” movimento Popular de Libertação de Angola quero saber quantos filhos fidalgos do presidente do MPLA estiveram nessa manifestação de apoio a JMPLA? Podem informar ao desgraçado povo quantos La estiveram? É claro que todos sabem a resposta, pois esses malandros só ficam onde corre poder e, sobretudo dinheiro, muito dinheiro.

Raul Diniz

Enviar um comentário