sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O assassinato frio e cruel de cidadãos Afinal, que tipo de democracia se está a construir em Angola?

O assassinato frio e cruel de cidadãos, supostamente perpetrado por membros de instituições que têm como vocação defender os interesses de Estado (e não de partidos políticos) é motivo para INDIGNAÇÃO geral. Entre alegações para manifestações, contra argumentações e discursos musculados à parte, sobra a sensação de que, quem ameaça a paz e põe em causa a estabilidade são as pessoas/entidades/instituições que promovem e legitimam actos bárbaros. Afinal, que tipo de democracia se está a construir em Angola? Estou envergonhada! No meu país, o acto de reivindicar direitos pode “dar direito” a ser executado sem julgamento e virar comida de jacaré. Terei moral para incentivar os meus filhos a acreditarem na Constituição da República? Como é que vou explicar por que razão os Direitos Fundamentais são catalogados como tal? Será que os veneradores da bajulação não compreendem que todos, mas absolutamente todos, podemos provar do próprio veneno e sucumbir a ele? A cultura do medo e a preservação do pão dos filhos justificam tanta omissão? Enquanto os discursos políticos ressuscitam fantasmas enterrados, a voz que não quer calar clama: JUSTIÇA JÁ!
Maria Luísa Rogério. Facebook
Enviar um comentário