segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Angola. Crise à vista. Economia em alerta





A baixa do preço do petróleo é uma oportunidade para acelerar o processo de diversificação económica e introduzir reformas, dizem economistas. Mas a quebra de receitas, a desvalorização do kwanza e os riscos inflacionistas no horizonte podem comprometer o processo. Cenário de recessão é real, garantem.

Estêvão Martins

O processo de diversificação da economia ganhou força com a baixa abrupta dos preços do petróleo nos mercados internacionais, mas pode tornar-se presa do contexto actual. Coordenado pelo Ministério da Economia, o programa, plasmado no Plano Nacional de Desenvolvimento (PND), só é viável com um forte desenvolvimento do sector privado e empresarial, dizem analistas ouvidos pelo Expansão.
Orçado em 25 mil milhões USD, (2,6 biliões Kz), o Programa Executivo de Aceleração do Processo de Diversificação da Economia está concluído e aguarda aprovação, segundo declarações recentes do ministro da Economia, Abrahão Gourgel. De acordo com o governante, o Executivo já definiu também as prioridades que determinarão o crescimento anual de 7%.
O processo passa pelo desenvolvimento de clusters nos sectores de alimentação e agro-indústria, actividade extractiva (sector mineiro), cadeia produtiva do petróleo e do gás natural, habitação, serviços, energia e águas, e transportes e logística.

Enviar um comentário