Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Compra de kwanzas está suspensa em Portugal




Reportagem do Expansão em Lisboa constata que há quase duas semanas que é impossível vender kwanzas em casas de câmbio. BIC Portugal suspendeu operações no início da semana, limitando-as a clientes.

Ana Filipe e David Rodrigues
http://expansao.co.ao/Artigo/Geral/52782

As casas de câmbio que operam em Portugal, assim como o Banco BIC Portugal, suspenderam a compra de kwanzas e não há data prevista para que as operações sejam retomadas. Numa ronda feita terça-feira, em Lisboa, por algumas casas de câmbio em e balcões do banco 'gémeo' do BIC Angola, a reportagem do Expansão constatou que é impossível, para já, trocar a moeda angolana. O Banco de Portugal diz nada ter que ver com a medida, tomada por decisão das instituições, que alegam ter kwanzas em excesso.
Unicâmbio, NovaCâmbios, Real Transfer e BIC Portugal. A resposta é igual em todo o lado. "Não estamos a comprar kwanzas", dizem os funcionários, que explicam ter recebido indicações das direcções para deixarem de aceitar a moeda angolana até ordens em contrário.
Na NovaCâmbios, a reportagem do Expansão encontrou mesmo, num balcão na baixa da cidade, um letreiro afixado dando conta da situação. A empresa de câmbios deixou de comprar kwanzas há cerca de uma semana e meia, e todos os dias são muitos os angolanos - mas também portugueses - que se dirigem às lojas, saindo... com os kwanzas com que entraram.





Enviar um comentário