domingo, 22 de setembro de 2013

Luanda. andam com uma lista de indivíduos que sob qualquer pretexto devem capturar, “Vivos ou mortos”.





Luanda - Tivemos de fugir a polícia que nos apontou o cano da arma, nos mandou mãos ao alto, como de uns criminosos se tratasse. Outros agentes dos SINFO a civil faziam o envolvimento para nos capturar.

Félix Miranda. Facebook

Isto quando procuramos nos aproximar do local onde os colegas jornalistas Rafael Marques, Alexandre Solombe e Coque Mukuta, juntamente outros miúdos foram novamente metidos nos calabouços, depois de terem recebido o despacho de soltura emitido pelo Tribunal e aguardavam a chegada de seus familiares para o regresso a liberdade e as casas. A Lei Suprema do Tribunal foi simplesmente ignorada e fez-se cumprir a Lei do Governo paralelo que está acima de todas as coisas e de todos.
Constam-nos que os grupos de polícia, espalhados em todos os cantos, têm instruções e andam com uma lista de indivíduos que sob qualquer pretexto devem capturar, “Vivos ou mortos”.
Não digam que alarmo ou pretendo fazer teatro. O Rafael Marques, o Solombe e o Coque Mukuta foram levados como criminosos para a Esquadra Provincial onde foram severamente molestados e a hora actual desconhece-se se continuam as privações, humilhações e a violência física e psicológica a que estão submetidos.
Os jovens Revolucionários, estão a ser considerados heróis porque meia dúzia está a enfrentar um exército que envolve helicópteros preparados para recapturar Jonas Savimbi ressuscitado, num país em estádio de guerra.
A situação agrava-se em cada momento, tememos pelas nossas vidas.

Enviar um comentário