segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Marcolino Moco envergonhado pelo comportamento da Policia Angolana e os seus Mandantes


Marcolino Moco diz que alguns dos que combateram contra o colonialismo, com a sua PIDE, com a sua repressão que os obrigou, a alguns, como o actual Presidente da República, a sair de Angola para o exterior, são dignitários deste Estado, que reprime das mesmas ou da pior maneira angolanos, mesmo perante um evento internacional. 
Como acreditar que depois do Dr. Filomeno, figura respeitada no país e não só, hoje chega à vez de jornalistas conhecidos, como o Rafael Marques, o Alexandre Solombe e o Coque Mukuta que são “pisados e torturados” por polícias mandatos por aqueles que se julgam legitimados para fazer isso?
Todos os que estamos em condições de minimamente discernir sobre as coisas essenciais, sabemos que vivemos uma situação grave no país.
É confrangedor. Todos estamos impotentes, fingindo que tudo está normal. Hoje ouvi um padre a pregar que não critiquemos os “nossos dirigentes”. “Rezemos para que Deus os proje ja e os encaminha para o bem”. E perante tudo isso, o assunto mais importante para a mídia e os comentadores de serviço são os depósitos na conta Mfuca Muzemba, militante de um partido político. O país vai enterrando de vez o conceito dignidade humana e de que a lei vale para todos. Os juízes e juízas libertam sob cauções jovens que não cometeram crime nenhum. Ajudemos pelo menos, os que podemos apagar. Que país é este? Que justiça amordaçada?!
Estes jovens são os únicos que estão a cumprir, quase isolados, o seu dever de cidadãos, perante a indiferença de quem podia fazer alguma coisa, mesmo com um simples gesto de desaprovação. Estamos vendidos ao preço do petróleo. Todos nós estamos envergonhados. Eu pelo menos estou envergonhado. Não estava preparada para ver isso no século XXI, depois de proclamada a Paz, no meu país.
In Marcolino Moco. Facebook

Enviar um comentário