segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Luanda. Polícia espanca neto de Mendes de Carvalho







Luanda – Um neto do veterano do MPLA, Agostinho Mendes de Carvalho foi brutalmente espancado pela Policia de Intervenção Rápida em Luanda, nesta sexta-feira (20), no seguimento de uma operação de repressão/detenção de jornalistas e manifestantes.

Fonte: Club-k.net

Tudo começou na tarde deste dia quando o jovem Mário Mendes de Carvalho encontrava-se no seu escritório no largo Serpa Pinto, na Maianga, em Luanda.
Ao aperceber-se de um contingente de 45 polícias que prendiam jornalistas (Rafael Marques, Coque Mukuta, Alexandre Solombo) e um grupo de manifestantes (Adolfo Campos, Pedrowski Teka e outros) que acabavam de ser soltos pelo Tribunal da Policia, o jovem Mário foi até a janela entender o que estava acontecer.
Um dos policias viu-lhe na janela do segundo andar do edifício a registar as imagens e foi até ao seu escritório arrancando-lhe a força levando-lhe consigo.
Mário foi colocado na mesma viatura policial que foram detidos os jornalistas e os manifestantes. Os detidos foram orientados a ficarem de barriga para baixo e um por cima do outro e enquanto isso um polícia pisava-lhes com as botas no rosto como aconteceu precisamente com o activista Rafael Marques. Postos na esquadra da PIR, o jovem voltou a ser vítima das sevícias da polícia.
Ao tomarem conhecimento da prisão do rapaz, a sua família, na pessoa do general Manuel Paulo Mendes de Carvalho “Pakas” telefonou para o comandante geral da Polícia Nacional, Ambrósio de Lemos, que garantiu que Mário de Carvalho já estava livre.
Após várias diligências, os familiares de Mário notaram que o jovem não estava em liberdade como garantiu o comandante geral da polícia mas sim, encontrava-se detido na DPIC - Direcção Provincial de Investigação Criminal, onde fora transferido.
Saturados com a ausência de verdade quanto ao paradeiro de Mário, o tio seu Almirante André Mendes de Carvalho “Miau” deslocou-se até a sede da DPIC, para exigir a soltura do rapaz. Chateado, o oficial general na reforma procurou saber quem era o comandante responsável por aquela operação violenta, sem no entanto ter tido resposta.
O Almirante “Miau” foi por sua vez direccionado ao director adjunto da DPIC, Vidal Sermão, que apresentou pedidos de desculpas pelo espancamento a que o jovem foi submetido. A vítima na presença do seu tio, apresentaram queixa-crime contra a Policia de Intervenção Rápida (PIR) cujo processo dará continuidade na segunda-feira.
De recordar que o jovem Mário é filho do vice-governador para Área dos Serviços Comunitários da província de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho.
O seu caso reitera advertências de membros da sociedade civil, segundo as quais, um dia o regime angolano perdera o controle da sua política de agressão policial acabando por atingir filhos dos próprios dirigentes do MPLA.
Já no ano passado o general Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa” ficou embaraçado quando as forças de repressão do regime espancaram um primo seu, Filomeno Vieira Lopes,  a margem de uma manifestação em Luanda.

Enviar um comentário