terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Casa-CE planeia protesto no Uíge contra aumentos nos combustíveis





Aspecto da cidade de Uíge

Unita diz que queda do preço do petróleo não é desculpa para crise orçamental.

Por Moniz Francisco
VOA

No Uíge, a Casa-CE diz que está a planear uma manifestação para protestar contra o aumento do preço dos combustíveis.
Olavo Castigo, da referida coligação, afirmou que depois de terminar os últimos ajustes a sua organização poderá anunciar a data da realização do protesto contra a subida dos preços dos combustíveis e a falta de oportunidades de emprego.
Várias organizações juvenis e outras que preferiram o anonimato confirmaram estar a ser discutida a possibilidade de uma manifestação.
Os preços dos produtos básicos têm vindo a disparar na sequência do aumento dos combustíveis.
O litro de gasolina, que custava entre  60 e 70 Kzs, passou a ser vendido no valor de 90 Kzs nas bombas de combustíveis, enquanto na rua está a ser comercializado entre 150 e 200 Kzs.
A medida tomada pelo Ministério das Finanças sobre a subida do preço dos combustíveis não só afetou o combustível, como também os preços dos produtos de primeira necessidade. O quilo de fubá de bombom, por  exemplo, que custava 50 Kzs, actualmente está ser vendido no valor de 150 Kzs.
No domínio dos transportes, o valor do taxi tem tendências de multiplicar duas vezes o preço anterior em algumas regiões da província.
O taxi, que custava 100 Kzs, custa entre 150 e 200 Kzs na capital da província.
Para o secretário provincial da Unita Felix Simão Lucas a crise não pode ser atribuída à queda do preço do petróleo tendo em conta os outros recursos de Angola que não são devidamente usados para bem do povo angolano.
Para Lucas a crise reflecte a incompetência do Governo.


Enviar um comentário