Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Soares da Costa anuncia Angola como novo centro estratégico do grupo





A Soares da Costa anunciou hoje que Angola passa a “centro estratégico” do grupo e que África será o “mercado prioritário” na construção, tendo os acionistas nomeado Joaquim Fitas como novo presidente da comissão executiva da empresa.
A informação consta de uma informação da Soares da Costa Construção, SGPS, enviada hoje à Lusa, em Luanda, dando conta que a “reestruturação” do grupo “assenta na definição de África como mercado prioritário e Luanda como novo centro estratégico do negócio”.
“A nova orientação passa também pela captação de novos contratos de engenharia e pela redução de custos”, acrescenta a informação.
A construtora, de origem portuguesa, assume que Moçambique “vai também tornar-se como uma referência” do grupo.
A informação refere que os acionistas da Soares da Costa Construção “decidiram proceder a uma recomposição do conselho de administração”, nomeando Joaquim Fitas como novo presidente da comissão executiva da construtora.
Citado na mesma informação, Fitas assume o objetivo de “dar uma nova orientação estratégica à empresa”, passando Luanda a “sede operacional”.
O empresário angolano António Mosquito mantém-se como presidente do conselho de administração, enquanto Joaquim Fitas e António Gomes Mota são vice-presidentes deste órgão. Integram ainda o conselho de administração Paulo Leal, Daniel Pinto da Silva e Fernando Nogueira.
De acordo com a informação disponibilizada pela construtora, Joaquim Fitas desempenhava o cargo de administrador da empresa de construção angolana Omatapalo, possuindo uma “forte experiência no setor das águas”.
Já desempenhou funções como presidente da Águas de Angola, foi administrador da Águas de Moçambique e esteve na direção da Águas de Portugal e da EPAL.
A comissão executiva da Soares da Costa Construção, SGPS, além de Joaquim Fitas, será composta por Fernando Nogueira, Paulo Leal e Daniel Pinto da Silva.
Lusa
luso-fonia.com
Enviar um comentário