Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

(dia 19 de Setembro 2013) Jovens convocam manifestação em Luanda


Manifestação prevista para dia anterior ao início do mundial de hoquei em patins
Manifestação na Praça da Independência, em Luanda (2 de Abril de 2011) Foto de Alexandre Neto / VOA
Jovens angolanos convocaram uma manifestação para o próxima dia 19, um dia antes do início do campeonato mundial de hóquei em patins nesta cidade e no Namibe.

Os jovens dizem que não pretendem com esta manifestação estragar a festa do hóquei.

Adolfo Campos um dos integrantes do movimento  informal de protesto anti governamental  disse que a manifestação tem como objectivo protestar contra  injustiças sociais.

Os jovens têm sido nos últimos dias notificados pela direcção nacional de investigação criminal para serem interrogados sobre as suas vidas e parceiros.

Recentemente foi a vez do fotógrafo Timóteo João, e do Secretário para Informação do Bloco Democrático, “Adão Ramos” que participam regularmente em manifestações.

Grupos de Jovens têm desde 2011 levado a cabo periódicas manifestações anti governamentais que têm sido sempre alvo de medidas repressivas.

Ainda assim Adolfo Campos diz não temerem por novas acções policias contra a programada manifestação.


“Nós já estamos vacinados, “ disse.

“Vamos continuar a trabalhar e a pressionar o regime de José Eduardo dos Santos” acrescentou.

A manifestação está programada para as 15 horas na Quinta-feira, dia 19 de Setembro de 2013 no Largo da Independência em Luanda, onde o Movimento irá dirigir uma carta aberta ao Executivo de José Eduardo dos Santos, abordando questões como o desaparecimento dos dois activistas Isaías Cassule e Álves Kamulingue,  a seca e a fome no sul de Angola, as contínuas demolições e desalojamentos forçados das populações indefesas entre outras.

Campos disse que as autoridades já foram formalmente informadas da manifestação.

O activista afirma também que continua a espera do encontro com Eduardo dos Santos solicitado a mais de um mês.

Enviar um comentário