Em Angola julgam-se presos políticos acusados de nenhum crime. Dizem que é um regime democrático que está em pleno gozo das suas funções. A corrupção está no pódio como grande vencedora. A miséria e a fome também. As potências democráticas fecham os olhos e apontam que assim é que é bom, que assim é que se faz a estabilidade em África. Eis a receita do terrorismo do qual a Europa não se consegue desenvencilhar. Quem apoia a corrupção e as suas ditaduras, no fundo também é terrorista sem o saber.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Luanda. Viana está na mão dos gatunos, não há lei nesta Vila,


só que há de pior é o que nos estão a mandar para cá, a escória veio toda para Viana, em 10 anos isto ficou um caos. Assassinos, larápios, prostituição, ralé só lixo, tudo do piorio veio para cá...Soluções??? Policia 24h/24h em todos os bairros quarteirões... giro ronda senão a justiça por mãos próprias vai tender a piorar, gatuno é igual a assassino, depois venham com as mer*** dos direitos humanos...e nós como ficamos oh cambada de activistas ...qd vos entrarem em casa,vos assaltarem na rua, nos carros serem violentados etc...aí quero ver quem vai falar dos direitos humanos...JUSTIÇA ....olho por olho dente por dente...e não digam que não estão a ver.

É isso mesmo Ana Amorim, aqui em toda a Luanda também é assim mesmo. Quer dizer: isto é um Estado democrático do direito à gatunagem. JÁ TOMARAM CONTA DESTA TRALHA! E porquê? Pela ânsia da entrega da terra e de nós aos estrangeiros. Não consigo trabalhar na minha área porque os gajos rapinam tudo. Até empresas que não estão vocacionadas, como por exemplo, uma empresa de reparações auto também executa outros trabalhos que nada tem a ver com a sua actividade. Claro, só resta ao mwangolé ir para o cangaço, e nós, que será de nós? A juventude a estudar? Onde está o dinheiro para os livros? E a Net, é um luxo. Pois tem que ser o Estado a financiar isto. Um Estado que não tem noção do que é um Estado. Quer dizer: estamos a investir para a gatunagem, em tudo o que ela merece.
In Ana Amorim. Facebook
Imagem: www.glimboo.com 

Enviar um comentário